Educação

Porque ou por que?

Professor de português ensina como diferenciar cada um

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)
- Atualizada em

Quer conquistar o (a) crush sem passar vergonha no português? Você precisa saber diferenciar quando usar 'porque', 'por que' 'porquê' e 'por quê'. O bom uso da palavra também é ideal no âmbito acadêmico e no mercado de trabalho.

Em entrevista ao UOL, o professor Pasquale Cipro Neto garantiu que o 'por que' não deve ser usado em todas as frases terminadas com ponto de interrogação. Pasquale também explicou quando é necessário usar cada um. Confira:

Foto: reprodução
- Porque: conjunção para indicar causa, justificativa ou explicação. Uma dica para acertar o uso é trocar o 'porque' por 'pois'. Se der certo, você pode usar o 'porque'.

Exemplo: não fui ao cinema porque tenho que estudar para a prova.

- Porquê: nesse caso, é tipo sinônimo da palavra motivo ou razão, que vem acompanhado do determinante - artigo, adjetivo, pronome ou numeral.

Exemplo: qual é o porquê de tanta tristeza?

- Por que: usado para fazer pergunta, com a ideia de razão ou motivo e equivalente a 'pelo qual'. Tanto para perguntas diretas como para frases terminadas com ponto final.

Exemplos:

Por que você não vai ao cinema? (por qual razão)
Não sei por que não quero ir. (por qual motivo)

- Por quê: deve vim antes de um ponto (final, interrogativo ou de exclamação). Significa 'por qual motivo' ou 'por qual razão'.

Exemplo: andar cinco quilômetros, por quê? Vamos de carro.