Especiais

Possível baderna de holandeses na "Praça Laranja" preocupa polícia baiana

Torcedores prometem grande festa em Salvador. Tenente-coronel não confirma preocupação extra, mas diz que polícia está atenta a tudo

Hailton Andrade (hailton.neto@redebahia.com.br)
- Atualizada em
Praça Laranja deve reunir cinco mil holandeses em Salvador

A Praça Laranja tem fama internacional. A cada Copa do Mundo, um grupo de torcedores da Holanda se reúne em algum ponto próximo ao local do jogo da seleção laranja e faz uma grande festa, assim como acontece no próprio país em dias de partidas importantes da equipe. Mais de cinco mil holandeses são esperados na Bahia e os possíveis excessos preocupam a polícia baiana.


O iBahia apurou que a Praça Laranja receberá atenção especial por conta de supostas badernas feitas por alguns holandeses em festejos passados, principalmente por conta do exagero no consumo de bebidas alcoólicas. O tenente-coronel Marcos Oliveira não confirmou as informações apuradas pela reportagem, mas disse que os policiais estão atentos aos detalhes dos perfis de cada turista que vai desembarcar em Salvador.


"Na própria reunião com as embaixadas tivemos conhecimento de quantos viriam e quando eles chegariam a Salvador. Em cima disso, foi traçado um planejamento conjunto entre Estado e Município", explica Oliveira, que é presidente da Comissão Estadual de Segurança Pública e Defesa Civil para Grandes Eventos do Ministério da Justiça e gerente de Planejamento do Centro de Comando e Controle.

O trabalho de segurança servirá para proteger os turistas, mas também para impedir possíveis delitos cometidos por visitantes durante a Copa. "Existe um trabalho realizado pela Secretaria de Turismo de atendimento ao turista que vai se unir ao Centro Integrado de Comando e Controle. Além disso, vamos ter policiais no Centro destacados para os dias de jogos. Vamos dar esse apoio, com proteção e também para coibir delitos".

Terreiro de Jesus, no Centro Histórico, foi o local escolhido para grande festa. Foto: Robson Mendes/Arquivo Correio*



Veja também

Festas de turistas vão ocupar a cidade nos dias de jogos da Copa


Programação - A Praça Laranja vai ocorrer em Salvador no dia 13 de junho, data da partida entre Espanha e Holanda, que reeditam a final de 2010 no Grupo B da Copa de 2014. O ponto de encontro será o Terreiro de Jesus, no Centro Histórico, e qualquer um pode participar. Tudo começa às 8h, apesar da partida começar apenas às 16h. O evento terá atrações musicais locais e DJs holandeses até depois da partida, que acontecerá na Arena Fonte Nova.  A organização da festa é de membros da Embaixada Holandesa junto com a federação de futebol e líderes de torcida do país.

"Nos vamos fazer o acompanhamento. É semelhante ao Carnaval, como nos deslocamentos dos grandes blocos", conta o tenente-coronel Marcos Oliveira, explicando que a polícia vai fazer a segurança tanto dos turistas que forem ao jogo como daqueles que ficarão concentrados nas imediações na Fonte Nova ou retornarão aos hotéis.


Fique por dentro das últimas notícias da Copa do Mundo de 2014

Centro de Controle vai acompanhar todos os passos dos turistas em Salvador. Foto: Manu Dias/GOVBA


Efetivo - No total, o efetivo estadual envolvido na segurança da Copa do Mundo na Bahia é de 10.386 policiais. Somando-se as forças municipais e federais, o número sobe para 13.231. "O planejamento é integrado e cada um atua no seu campo, com as Forças Armadas cuidando do espaço aéreo e das chamadas infraestruturas estratégicas para a Copa do Mundo, e as forças de segurança sendo responsáveis pela atividade de segurança cotidiana", explica o secretário de Segurança Pública, Maurício Barbosa. 

Idioma - De acordo com o tenente-coronel Marcos Oliveira, o trabalho não será diferente do que é feito no Carnaval. "Diferente é o idioma. O comportamento é o mesmo do turista que vem ao Carnaval, o que muda é a atração. É um momento de celebração, com nenhuma dificuldade", garantiu. A capital baiana também receberá turistas espanhóis, franceses, alemães, portugueses e suíços em grande escala, além de bósnios e iranianos, na primeira fase.