TV

Pra quem vai a sua torcida? Conheça os baianos que estão no 'The Voice Brasil'

iBahia conversou com seis candidatos da Bahia que integram a 7ª edição do programa, inclusive a designer Géssica Lima que já deixou o reality musical

Priscila Morais* (priscila.morais@redebahia.com.br)
- Atualizada em

O 'The Voice Brasil' (TV Globo) estreou dia 17 de julho e já está na fase das batalhas. Seis participantes são baianos e o portal iBahia conversou com Cristiane Santos, David Nascimento, Raissa Araújo, Meggie Santos, Lia Gondim e Géssica Lima para conhecê-los e descobrir como a vida deles foi transformada desde que entraram no reality show musical. 

Cristiane Santos foi a primeira baiana a entrar no programa nesta temporada. A morena, que tem 19 anos, é natural do Sítio do Quinto, a 405 km de Salvador, e encantou Michel Teló e Carlinhos Brown ao cantar 'À Primeira Vista', hit de Daniela Mercury. A concorrente acabou escolhendo o Cacique e afirmou que sempre lutou pelo que deseja.

Foto: Reprodução | TV Globo
"Sou uma menina batalhadora, que desde sempre vive lutando para alcançar seus objetivos dentro da música". Sobre a sua referência musical, Cristiane pontua que o seu grande ídolo foi um dos integrantes do Jackson´s Five, que faleceu em 2009 e o seu pai. "Quem me fez gostar de música foi o Michael Jackson. Ele foi a minha primeira influência, mas conforme foi passando o tempo, eu fui gostando de outros artistas. Mas posso dizer que o Michael é uma das minhas inspirações. O meu pai é músico, então o meu pai também foi minha referência musical, que me fez começar a cantar", disse. 

Segundo a participante, o programa só tem trazido acontecimentos positivos para sua carreira. "Além de visibilidade, o 'The Voice' traz uma experiência pra nós. A gente aprende lá dentro que temos que estar preparados pra tudo, pro sim e pro não e saber que a gente sempre tem que defender a nossa verdade. Então o 'The Voice' é uma escola de músicos", afirmou

Cristiane ainda contou que já havia tentado entrar no reality, mas não tinha sido aprovada. "Eu me inscrevi quando eu tinha 16 anos. Eu fui chamada, participei da seletiva, mas não passei. Aí no ano passado eu fui chamada pra seletiva e fiquei pra cantar esse ano", pontuou.

Após a sua participação no programa, a estudante afirma que já percebe a mudança em sua vida. "As pessoas te olham diferente. O programa de certa forma abre portas pra nós artistas e é um programa com uma visibilidade muito grande, então muda totalmente a nossa vida", revelou ela.

A concorrente ainda declarou que o seu maior sonho é que o público a conheça de verdade. "Meu maior sonho é que as pessoas conheçam a minha verdade e defenda ela junto comigo", finalizou Cristiane Santos, que atualmente mora em São Vicente/SP.

 

Pai e apaixonado por música, David Nascimento apareceu na terceira noite de audições às cegas e conseguiu que Brown virasse a cadeira nos últimos segundos de sua apresentação. O baiano de Itabuna, interior da Bahia, que fica a 435 km da capital baiana, cantou o hit 'O Sol', de Vitor Kley e garantiu sua vaga no reality. 
Foto: Reprodução | Instagram
Bastante eclético, o cantor afirma buscar inspirações tanto em artistas nacionais, quanto nos internacionais. "Jorge Vercilo, Ivan Lins, Djavan, John Mayer e Brian Mcknigh", disse ele. Ainda muito pequeno, David descobriu sua paixão pela música e revelou que está vivendo um dos momentos mais felizes de sua vida. 

"Está sendo uma realização de sonho, onde estou tendo a oportunidade de mostrar ao mundo minha arte. Portas se abrindo, e o desejo cada vez mais de viver somente de música, de arte, da minha arte", pontuou. 

Inscrito em apenas uma edição do programa, o baiano garantiu que toda visibilidade está sendo positiva em sua carreira. "Muitas mudanças. A começar pelo reconhecimento das pessoas. E o meu maior sonho é viver exclusivamente da música", finalizou David Nascimento.



Natural de Salvador, Raissa Araújo tem 28 anos e foi a quarta baiana a participar das audições às cegas no reality. A morena conquistou Lulu Santos ao cantar 'Só Tinha de Ser Você' e fala das suas admirações na música. "Adoro aquele jeito rasgado da Elis Regina, a classe da Nana Caymmi, a leveza da Maria Betânia e o jeito quebrado de cantar da Rosa Passos. São as minhas divas de hoje", disse. 
Foto: Reprodução | Instagram
Ainda pequena, Raissa revelou que a sua paixão pela música começou graças a um parente muito próximo. "A música sempre esteve presente na minha vida. Começo minha paixão através da dança. Adorava dançar quando criança. E quando meu avô cantava seus sambas, ficava encantada. Nas viagens com meus pais, a gente sempre fazia as seleções dos CD's juntos, adorava ouvir Djavan na estrada", pontuou.

A cantora ainda contou que essa não é a primeira vez que tentou entrar no programa. "Me inscrevi duas vezes! Na primeira eu não passei. Da segunda vez eu passei e hoje to aqui contando essa experiência para vocês . Que incrível e poderoso é cantar para um público tão gigante! Gratidão em vida", agradeceu. 

Sobre o que mudou acerca da visibilidade do seu trabalho, Raissa afirma que o reality mudou completamente a sua rotina. "Percebi o quanto as pessoas estão interessadas em estar próximas a você, além do trabalho. Como elas te desejam o bem, como elas se sentem parte dessa construção. Isso aumenta e isso é lindo. Outra percepção são as portas que se abrem para criar oportunidades de me mostrar, mostrar o meu trabalho e fazer acontecer o sonho", revelou. 

A participante tem o desejo de tocar a alma das pessoas com o seu canto e suas orações. "Quero um soar de oração, que mesmo manso seja tão forte a ponto de revirar, motivar e emocionar. Luz e positividade sempre por onde eu for, entre cantos, vários cantos e encantos. Quero o mundo", finalizou Raissa Araújo, que atualmente mora em Lauro de Freitas, na Bahia. 



Bastante firme e direta, Meggie Santos foi a sexta baiana a se apresentar no reality musical. Nascida e criada em Salvador, a jovem de 24 anos conquistou o técnico Carlinhos Brown com a canção 'Boa Noite' de Djavan.
Foto: Isabella Pinheiro | Divulgação
 A cantora revelou o quanto é determinada e luta pelas suas metas. "Sou uma sonhadora que nunca desisto dos meus sonhos, que em meio a tantas dificuldades, vou até o fim com garra e coragem nos meus objetivos", disse. 

Por incrível que pareça, a morena afirmou que a grande inspiração em sua carreira musical não foi nenhum artista, e sim o seu pai. "A minha maior referência musical é o meu pai. Meu grande influenciador que me ensinou a tocar o meu primeiro instrumento musical que foi o violão. Sempre tive esse sonho e sempre admirei o meu pai tocando. Tive sede e muita vontade de aprender. Grande parte da minha história na música é a ele que devo todo o reconhecimento", pontuou Meggie. 

A candidata ainda contou que graças ao reality muitas portas se abriram onde ela nunca imaginou chegar tão longe em sua carreira. "O 'The Voice' tem sido um divisor de águas na minha vida. Ele traz mais valores como artista. Além da visibilidade, abre portas para que eu possa crescer profissionalmente e chegar em lugares que jamais imaginei chegar com a música", afirmou. 

Aos 14 anos, Meggie Santos começou a cantar e se inscreveu uma única vez no programa musical. "Sempre assisti o 'The Voice' e sonhei em participar, mas nunca acreditei que realmente eu pudesse chegar", pontuou.

Depois que ficou nacionalmente conhecida, a concorrente afirmou que a sua vida mudou em questão de segundos. "Estou sendo mais valorizada monetariamente nas minhas apresentações e o reconhecimento das pessoas pelo meu trabalho. Essa é a melhor parte de tudo o que está acontecendo", revelou. 

A maior vontade de Meggie é que as pessoas não desistam de nada do que desejam e sempre pensar positivo para tudo se concretizar. "Meu maior sonho é fazer com que as pessoas vejam a minha história e saibam que elas também são capazes de chegar onde cheguei", finalizou ela, que mora atualmente no bairro de Brotas, na capital baiana. 

Moradora do bairro da Federação, em Salvador, Lia Gondim conseguiu virar duas cadeiras durante a sua apresentação no 'The Voice'. Lulu Santos e Carlinhos Brown disputaram pela professora de música e ela escolheu seu grande ídolo, Brown. 

Foto: Thór Junior | Divulgação
Lia começou a cantar aos nove anos de idade e nunca escondeu que a sua grande paixão foi a música. "Faço faculdade de música, dou aula de canto, gravo 'jingles' em estúdio, já trabalhei com axé, pagode, sertanejo, e tive banda que se chamava 'Axe Maria'. Atualmente tenho um canal no Youtube com minha irmã que se chama 'Casa de Cantoras', disse ela. 

Como começou a se apresentar ainda criança, Lia afirmou que cantou em um bloco infantil apenas com dez anos e procura ouvir um pouco de tudo. "Eu ouço de tudo. Tudo que é música brasileira, eu pesquiso. Quando era menina, minhas referências eram Brown e Daniela. Eu cantei em um bloco infantil com dez anos, então o axé sempre esteve presente. Saulo, Gonzaguinha, Emílio Santiago, Marisa Monte, Vânia Abreu, eu ouço tudo", revelou. 

A soteropolitana já estava acostumada a cantar na frente do público, mas ela confessa que a sua experiência no 'The Voice' foi completamente diferente. "Coisa fantástica. Eu nunca fiquei nervosa em um palco como fiquei ali. São dois minutos. Ou você mostra pra que veio ou vai embora. E eu fiquei muito feliz, porque estar ali mostrando o meu trabalho já seria muito especial. Já agradeci milhões de vezes a Deus por esse presente", afirmou emocionada. 

Lia Gondim já participou de outros reality's musicais e tentou quatro vezes entrar no 'The Voice Brasil'. A cantora afirma que o seu maior sonho é levar a sua música de uma forma bastante positiva. 

"Quero levar para as pessoas alegria e fazer parte da trilha sonora da vida delas. Sempre quis isso. Sempre quis conquistar mais corações, e estou no caminho certo. Agora as coisas estão se encaixando", finalizou ela.



Formada em Design de Interiores pela Escola de Belas Artes, Géssica Lima foi a última baiana a se apresentar nas audições às cegas no programa. Dona de um olhar marcante, a jovem de 27 anos, virou as cadeiras de Brown, Ivete e Lulu ao cantar 'As Canções Que Você Fez Pra Mim'. Géssica escolheu ficar no time da mãe de Marcelo, Helena e Marina. 

Foto: Isabella Pinheiro | Divulgação
Ela trabalha com projetos de decoração, além de dar aulas de arte, cantar em casamentos e se apresentar em teatro com um grupo vocal performático chamado 'Tangerina'. A cantora afirma se identificar mais com vozes femininas. "Poderia passar uma lista com referências musicais, como: Marisa Monte, Sandy e Gal Costa. Mas tenho o perfil da cantora Tulipa Ruiz como uma referência muito forte atualmente. Gosto do caminho que ela traçou", revelou.

A artista que foi eliminada na fase das batalhas, confessou que o programa foi um divisor de águas em sua carreira. "O 'The Voice' me traz algumas certezas, uma experiência sem igual, muito aprendizado, novos amigos e a vontade de buscar e investir cada vez mais nessa caminhada que só está começando", disse. 

Sua paixão pela música deu início ainda quando era criança. Na época, Géssica ouvia seu irmão cantar e se encantou. "A música sempre se fez presente na minha vida desde a infância. Alguns dos meus melhores amigos hoje, existem por conta da música. Meu irmão tinha banda e eu sempre ficava por perto, ouvindo os ensaios, tentando cantar as músicas quando tinha uma voz feminina, e foi a partir daí que comecei a entender que isso já estava dentro de mim. Eu deveria ter uns dez ou onze anos", afirmou.

A jovem pontuou que já havia tentado entrar no programa outras vezes, mas por conta da timidez, não havia conseguido à vaga. "Eu me inscrevi três vezes. A primeira eu era muito tímida, mal olhava pra câmera (risos). Se não me engano foi no 'The Voice Brasil 2'. Depois eu só voltei a fazer a inscrição no ano passado. Cheguei apenas nas seletivas regionais. E esse ano, foi que finalmente consegui chegar mais longe. Mas as experiências anteriores foram muito válidas, acho que me fizeram entender o que faltava pra poder chegar mais forte esse ano. Também acredito que tudo na vida tem um tempo, um momento. O meu foi agora e eu só posso ser grata por isso", admitiu. 

Por fim, Géssica Lima confessou que o seu maior sonho é que o público aprecie o seu esforço e confiem no que ela pode transmitir. "O meu maior sonho é poder desenvolver um trabalho autoral, alcançar pessoas que admirem e comprem o meu trabalho e viver do que eu acredito", finalizou a cantora, que mora atualmente no bairro da Cidade Baixa, na capital baiana. 



* Sob a supervisão e orientação da repórter Naiá Braga