Brasil

Presos, Doutor Bumbum e namorada pretendem morar juntos após deixarem a cadeia

Apesar de ter o alvará de soltura expedido há quase 48 horas, Renata ainda aguarda a liberdade dentro da unidade especial para detentas grávidas

Cecília Vasconcelos, da Agência O Globo

O médico Denis César Furtado, conhecido como "Doutor Bumbum", e a namorada Renata Cirne, de 19 anos, pretendem manter a relação após deixaram a cadeia. Pessoas próximas a jovem afirmam que o casal ainda está junto e deseja morar junto depois de deixar a cadeia. Ao sair do presídio, Renata deve ir para a casa da mãe.

Foto: Reprodução
— Eles continuam juntos. Ainda mais agora que ela está grávida. Apesar deles não terem conversado pessoalmente, Denis já confirmou que quer continuar a relação. A Renata no início estava em dúvida, mas repensou e achou melhor continuar o namoro — diz uma pessoa próxima ao casal que não quis se identificar.

Apesar de ter o alvará de soltura expedido há quase 48 horas, Renata ainda aguarda a liberdade dentro da unidade especial para detentas grávidas, no Complexo Penitenciário de Gericinó, em Bangu, também na Zona Oeste do Rio. A jovem está presa desde o dia 17 de julho, acusada de participar do procedimento estético que matou a bancária Lilian Calixto. Renata descobriu estar grávida enquanto estava presa na cadeia de Benfica.

O advogado de Renata esteve no presídio na tarde desta quinta-feira e afirmou que todos os procedimentos legais já foram tomados pela defesa da jovem, inclusive o levantamento de antecedentes criminais, que até esta quinta-feira não estava pronto:

— Todos os documentos estão prontos. O alvará pode até ser enviado internamente, não precisa do documento físico. Enquanto isso, a Renata continua aguardando.

Denis e Maria de Fátima Furtado, mãe do médico, foram presos pela Polícia Militar em um prédio comercial na Barra da Tijuca. Eles, até então, eram considerados foragidos. Eles são acusados pela morte de Lilian Calixto, que saiu de Cuiabá, no Mato Grosso, para um procedimento estético nos glúteos, segundo seu enteado. Após a intervenção plástica na cobertura de Denis, de acordo com a família da vítima, a mulher passou mal e foi atendida no Hospital Barra D'or, também na Zona Oeste do Rio, mas não resistiu.

Após dar entrada no hospital, o quadro clínico de Lilian piorou. Ela passou por quatro paradas cardiorrespiratórias, sendo que na última não respondeu às tentativas de ressuscitação. Ainda segundo o depoimento, no mesmo dia da internação, o médico recolheu os pertences da paciente (um anel de prata com pedra, uma aliança dourada, um anel de prata, um cordão prata com pingente, uma blusa de manga, uma blusa de alças, um par de tênis e um sutiã) e se retirou do hospital sem comunicar aos médicos.