Mundo

Prisioneiros na Itália têm pena reduzida por leitura de livros

Itália é segundo país europeu com maior número de pessoas presas; lei deve ser debatida no Parlamento nacional para valer em todo o território

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)
- Atualizada em

Segundo país com maior número de prisioneiros na Europa, a Itália, aprovou uma lei que reduz a pena de um preso em três dias para cada livro lido. Segundo a revista "The Independent", o conselho regional da Calábria, na região sul do país, aprovou a lei, que agora deve ser debatida no Parlamento nacional, para valer em todo o território.


A medida tem um teto de 48 dias descontados em um ano, ou seja, valem no máximo 18 livros lidos em 12 meses. Além de incentivar a leitura, o projeto visa diminuir a quantidade de pessoas nas prisões.Na Europa, a Itália só perde em número de presos para a Sérvia. No Brasil, medidas semelhantes já são adotadas em alguns Estados.