Educação em Movimento

Professor comenta cinco questões de História; confira

Temas vão de efeitos das armas nucleares aos acontecimentos ocorridos na Europa

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)
- Atualizada em

O professor de História, Ricardo Carvalho, comentou 05 questões para a página especial do iBahia: o Educação em Movimento. Confira os textos e comentários e fique ligado!1 - "Os efeitos abomináveis das armas nucleares já foram sentidos pelos japoneses há mais de 50 anos (1945). Vários países têm, isoladamente, capacidade nuclear para comprometer a vida na Terra. Montar o seu sistema de defesa é um direito de todas as nações, mas um ato irresponsável ou um descuido pode desestruturar, pelo medo ou uso, a vida civilizada em vastas regiões. A não-proliferação de armas nucleares é importante. No 1º domingo de junho de 98, Índia e Paquistão rejeitaram a condenação da ONU, decorrente da explosão de bombas atômicas pelos dois países, a título de teste nuclear e comemoradas com festa, especialmente no Paquistão. O governo paquistanês (país que possui maioria da população muçulmana) considerou que a condenação não levou em conta o motivo da disputa: o território de CAXEMIRA, pelo qual já travaram 3 guerras desde sua independência (em 1947, do Império Britânico, que tinha o Subcontinente Indiano como colônia). Dois terços da região, de maioria muçulmana, pertencem à Índia e 1/3 ao Paquistão".Sobre o tempo e os argumentos podemos dizer que:


a) a bomba atômica não existia no mundo antes de o Paquistão existir como país.

b) a força não tem sido usada para tentar resolver os problemas entre Paquistão e Índia.

c) Caxemira tornou-se um país independente em 1947.

d) os governos da Índia e Paquistão encontram-se numa perigosa escalada de solução de problemas pela força.

e) diferentemente do século anterior, no início do século xx, o Império Britânico não tinha expressão mundial.


RESPOSTA: D

Comentário:

O Estado Moderno do Paquistão foi criado somente em 1947, após a Segunda Guerra Mundial, portanto, após a existência de bombas atômicas, logo a “A” está incorreta. Atentados, movimentações de tropas, tentativas de invasão marcam a tensão entre Índia e Paquistão, então a “B” está errada. Assim como a “C”, já que a Caxemira não é um país independente. A “D” está correta. E o Império Britânico só vai perder poder a partir da década de 50.


2 - Na atual fase da chamada globalização (ou mundialização) das relações socioeconômicas, destaca-se o fenômeno da formação de blocos regionais. São os casos da União Européia, do Nafta, do Mercosul e outros. Há até quem diga que essas associações estão se transformando em “superestados”, encerrando a tendência de fragmentação de territórios. Considerando as afirmações abaixo, assinale o conjunto de alternativas corretas:


1.    No interior da União Européia, diante dos progressos socioeconômicos obtidos até este momento, já se pode afirmar que as velhas reivindicações separatistas foram plenamente superadas, como demonstra o caso dos bascos, na Espanha;

2.    Com a dissolução do regime socialista no Leste Europeu, intensificou-se o processo de fusão dos estados nacionais, como demonstra o caso da CEI – Comunidade dos Estados Independentes, superando-se um quadro anterior de excessiva fragmentação territorial na região da ex-URSS.

3.    As transformações mundiais ligadas à globalização não estão impedindo o surgimento ou a intensificação de fortes movimentos nacionalistas e separatistas, como no caso do Canadá, onde o acordo do Nafta não interferiu no separatismo existente no Quebec;

4.    A China socialista, a partir da abertura para o capital estrangeiro, beneficia-se da globalização econômica, com um crescimento econômico notável repercutindo sobre a qualidade de vida, eliminando assim antigas tensões separatistas com o Tibet.

5.    Os povos africanos, vítimas históricas da fragmentação territorial construída pelo colonialismo europeu, convivem ainda com rivalidades de toda ordem, como demonstram as várias guerras regionais, exemplificadas no trágico conflito de Ruanda.


a) 1, 2 e 3.

b) 2, 4 e 5.

c) 1 e 4.

d) 3 e 5.

e) 4 e 5.


RESPOSTA D

Comentário:

Ainda há casos separatistas, como os bascos, até mesmo os Escoceses, que não se separaram do Reino Unido por uma pequena porcentagem de votos, então a 1 está errada. Houve uma fragmentação dos países do leste europeu com a dissolução da URSS, por isso a 2 está incorreta. A 3 está certa. A quatro está errada na medida que ainda existem diversas tensões separatistas no Tibet. E a quinta está certa, mencionando o massacre em Ruanda, de 1994.


3 - A Organização dos Estados Americanos (OEA) revogou, por meio da Resolução de 03/06/2009, a decisão, tomada em 1962, que excluía Cuba dessa organização. Em relação a esse tema, é correto afirmar que


a) os países membros impuseram, como condição para a volta de Cuba à OEA, o cumprimento do acordo de fechamento da prisão de Guantánamo.

b) o retorno de Cuba à OEA deve resultar de um processo de diálogo a pedido do próprio governo cubano.

c) a atual decisão da OEA foi criticada por países da América do Sul que não fazem parte dessa organização como, por exemplo, Venezuela e Bolívia.

d) o Brasil não participou da decisão da OEA, em junho de 2009, mantendo-se alheio ao processo de diálogo e de negociação com Cuba.

e) os EUA retiraram-se do processo de discussão da referida Resolução por discordarem da readmissão de Cuba à OEA.


RESPOSTA B


Comentário:

A resolução de integrar Cuba à OEA, somada a contínuas aproximações entre o país e os EUA, nos revela uma mudança na política em relação a tal país. Assistimos a relações sendo abertas e o embargo suspenso, no final do ano de 2014, começo de 2015. Há uma tendência em recolocar  Cuba na mesa de negociações, em um novo panorama da geopolítica mundial.


4 - Os acontecimentos políticos ocorridos na Europa a partir de 1989 promoveram a reorganização de alguns países. Assim, é correto afirmar que:


(01) Reapareceram como estados soberanos as Repúblicas Bálticas: Estônia, Letônia e Lituânia, que integravam a URSS desde a Conferência de Yalta.

(02) A Albânia, país balcânico, agregou ao seu território a província de Montenegro, porção da antiga Iugoslávia.

(04) A Alemanha reunificou-se com a anexação dos antigos reinos da Prússia e Boêmia.

(08) A Tchecoslováquia teve seu território desdobrado em dois novos estados independentes: a República Tcheca e a República Eslovaca.

(16) Surgiu a República da Moldávia, agregando porções dos territórios da antiga URSS, Polônia e Romênia.


Soma: 25

Comentário:

5 - A continuidade dos conflitos sociais na África revela a persistência de obstáculos às políticas de desenvolvimento nesse continente, desde o final do século XIX. Mesmo com alguns ensaios de democracia, repetiram-se, em 2008, eventos que indicam como a África está longe da paz e da estabilidade. A associação adequada entre país e causa direta de um conflito atual está expressa na seguinte alternativa: (A) Cabo Verde - guerras civis

(B) Quênia - disputas eleitorais

(C) Angola - antagonismos religiosos

(D) Burkina Faso - crises econômicas


RESPOSTA B


Comentário:

Os valores étnicos e religiosos sempre foram aspectos centrais das mobilizações sociais e políticas na África - continente que se manteve durante muito tempo defasado em relação aos processos de modernização política que ocorreram em outras regiões do planeta. As mudanças implementadas nos últimos anos, do ponto de vista político e da forma de expressão, revelam novas tensões. O Quênia é um exemplo que se destaca nesse cenário recente, pois seus conflitos têm-se apresentado por meio de questões eleitorais, de legitimidade de vitórias nas urnas, e só a partir daí os clássicos confrontos reapareceram.