Comportamento

Quatro listas nada óbvias para quem quer fazer intercâmbio

Veja dicas fora das que são mais encontradas por aí e que apresentam empresas confiáveis e sites variados

Vanessa Brunt e Brenda Sales, do Não Óbvio
Descubra sites, empresas e formas confiáveis para ganhar mais dinheiro, ampliar o currículo, achar melhores passagens e se preparar mais para o antes, durante e depois do processo de um intercâmbio. Veja listas fora dos clichês para a sua viagem.

São diversos os motivos que levam alguém ao sonho do intercâmbio ideal. Seja para quem vai com desejo de conhecer o mundo, para aprender uma nova língua, trabalhar, estudar, melhorar o currículo ou apenas para ter novas experiências, fato é que o engrandecimento será certeiro.

Às vezes, são vários os objetivos para uma a mesma viagem e, apesar da experiência ter sempre seus pontos positivos, nem todos os sonhos planejados se realizam quando a organização não é bem feita. O problema é que existem muitas empresas que prometem o que não cumprem ou não podem suprir as expectativas. Mas o NÃO ÓBVIO chegou para ajudar!

Foto: Não Óbvio

Para dar suporte no processo, o NÃO ÓBVIO preparou listas especiais com dicas fora das que são mais encontradas por aí e que apresentam empresas confiáveis e sites variados que vão ajudar na sua viagem.

São dicas de como ganhar dinheiro, ampliar o currículo, achar melhores passagens e se preparar melhor para o antes, durante e depois do processo. Confira:

1. O trabalho voluntário pode ser melhor do que um emprego fora da sua área

O primeiro passo para quem está avaliando fazer um intercâmbio é o estabelecimento do objetivo principal. Estabelecendo-o, é possível começar a pesquisar quais os pré-requisitos para realizar uma viagem – com base no objetivo: tais como encontrar as possibilidades de cursos, empresas e países.

É possível que quem esteja buscando por trabalhos fora do Brasil encontre opções fora das áreas de atuação. Sendo este o caso, valeria a pena? Talvez valha a pena pesquisar por experiências que ofereçam o aprendizado de uma nova língua ou que desenvolvam novas expertises. Por exemplo, já considerou fazer um trabalho voluntário em outro país?

Foto: Não Óbvio

O trabalho voluntário, além de ter custos geralmente mais baratos, oportunizam o desenvolvimento pessoal, o impacto social e enriquecimento do currículo. Várias empresas e organizações sem fins lucrativos oportunizam essa experiência e muitas chegam a dar diversos suportes para a viagem: como acomodação.

É possível ir para um país ajudar a causas como: ONG’s, animais, crianças, idosos e pessoas em situação de vulnerabilidade. Há, por exemplo, a possibilidade de ensinar sua língua materna para crianças ou abraçar projetos para diminuir a desigualdade de gênero.

O NÃO ÓBVIO listou algumas opções de empresas com trabalhos sociais para quem se interessar por tal tipo de projeto:

AIESEC ▬ A AIESEC é uma ONG que parte do pressuposto de realizar intercâmbios como forma de desenvolvimento de liderança. Além do trabalho voluntário, é garantida acomodação. Os projetos voluntários têm duração de 6 a 8 semanas e é necessário ter entre 18 e 30 anos.

Rotary Club ▬ A organização Rotary (que já foi citada na lista de projetos sociais baianos) assegura a possibilidade de unir metas profissionais a um projeto humanitário. É um programa de curto prazo para universitários e profissionais de até 30 anos de idade.

Exchange do Bem ▬ A agência de intercâmbio social Exchange destina 10% do seu lucro para ações sociais no Brasil. Depois, é necessário escolher seu projeto por país ou pelo Tipo de Programa. Há projetos a partir de duas semanas de duração e não há restrição de idade, mas os menores de 18 anos só podem viajar acompanhado dos pais ou responsável legal.

Volunteer Vacations ▬ A VV propõe uma viagem de curta duração, que geralmente não passa de um mês: é chamada short-term volunteering. Eles consideram como ‘férias’ tradicional aliada a oportunidade de ajudar diretamente um projeto social. Não há restrição de idade.

2. Opte por uma Host Family e ainda ganhe dinheiro por isto

Onde ficar é um dos principais impasses que atrapalham quem está pensando em fechar um intercâmbio, porque é, em geral, a etapa que mais encarece a viagem. Por isto, diversas pessoas optam por escolher uma empresa que já garanta a estadia durante o período no país.

Existe, porém, um outro tipo de opção, que são agências que oferecem uma Host Family. O termo é designado para tratar de uma família que mora na cidade de destino e que abriga, em sua própria casa, o intercambista. Geralmente, própria instituição ou programa costuma oferecer a opção com Host Family, como geralmente é o caso do Au Pair (descrito acima).

Foto: Não Óbvio

Existem diversos benefícios em optar por tal tipo de moradia, como o fato de ter pessoas mais próximas para auxiliar na experiência. A família pode ajudar com transporte até o local do trabalho/curso, pode indicar onde comprar alimentação por preços mais acessíveis, dentre outras informações que apenas moradores da cidade poderiam dar.

Além de aprender os costumes do local (como o que as pessoas do país comem em um café da manhã), é possível também aprender o idioma de forma mais descontraída. Ao invés de um curso com duração de poucas horas diárias, morar com uma Host Family permite que você tente se comunicar pela língua local durante mais tempo, garantindo algum aprendizado.

☌ COMO GANHAR DINHEIRO

Existe a possibilidade de ser Au Pair, que é um programa indicado para quem busca uma experiência cultural de longa duração. Geralmente, a pessoa selecionada passa pelo menos 1 ano nos Estados Unidos com uma família local, cuidando das crianças através de um trabalho remunerado.

Neste mês foi lançada a plataforma Soul Au Pair, composta por três ex au pairs. O objetivo do site é fornecer mentoria para quem deseja realizar esse tipo de projeto, além de criar uma comunidade que possa oferecer informações úteis para os intercambistas evitarem os mais diversos tipos de dificuldades, além de aproveitarem melhor o que a experiência tem a oferecer.

O Guia Au Pair é outra opção que também dá dicas e ajuda no processo.

☌ Instituições com Host Family: Au Pair, programas da AIESEC, alguns projetos do Rotary, além de empresas privadas que também podem oferecer o serviço.

☌ Veja algumas outras: Homestay, YFU e Homestayweb.

☌ Veja também uma lista extra com algumas dicas sobre o tema.

3. Olhe startups para ter ajuda nas compras de passagens

As passagens, principalmente se aéreas, serão um dos itens que mais demandarão pesquisa do consumidor ao programar um intercâmbio. Existem algumas dicas para diminuir os custos, como realizar a viagem em baixa estação, comprar as passagens com antecedência ou cadastrar o e-mail para receber ofertas de companhias aéreas.

Por outro lado, existem novas possibilidades de comprar passagens atualmente. É o caso das startups (empresa emergente que tem como objetivo desenvolver ou aprimorar um modelo de negócio) que fazem a comparação de preços e oferecem diversas opções de compra.

☌ Um exemplo é a startup Trafega. A Trafega é a abreviação de Travel Fare Game, ferramenta que utiliza a Inteligência artificial para mudar a forma de comprar passagens. Basicamente, é necessário informar o destino, o valor que pretende gastar e demais filtros específicos. Caso você não faça a compra imediata pelo melhor preço encontrado, a inteligência artificial armazena sua última busca e envia notificações atualizando suas chances de viajar pelo valor informado.

Foto: Não Óbvio

O objetivo da startup é mostrar o melhor preço ou o voo mais rápido para oportunizar a objetividade na compra. É possível aumentar o valor e modificar os filtros a qualquer momento, respondendo às notificações ou acessando a ferramenta. Segundo a empresa, quanto mais você interagir, mais chances de viajar.

O NÃO ÓBVIO listou mais algumas startups para considerar na hora de comprar passagens áereas:

NaHora.com ▬ O cliente preenche origem, destino, datas, e-mail e cupom desconto, caso tenha. A plataforma pesquisa e envia as ofertas por e-mail em até 1 minuto. As opções de horários e preços com todas as taxas já ficam incluídas.

Flyby ▬ A empresa compra milhas de pessoas físicas e vende passagens aéreas a preços 30% mais baixos em média. Também é possível vender milhas para essa startup.

Passagensaereas.com.br ▬ No Passagens Aéreas também são definidos trechos e valor máximo possível a ser desembolsado. Quando a passagem é encontrada, o consumidor recebe um alerta por e-mail.

☌ EXTRA: Reivindicar ▬ Essa empresa não é para comprar passagens. A Reinvindicar tem objetivo de resolver problemas com o voo, extravio de bagagens, atraso ou cancelamento da aeronave, dentre outras demandas – de forma digital, extrajudicial e gratuita.

O interessado contrata os serviços e só paga a taxa de 30% sobre o valor recebido em caso de sucesso na mediação, ou seja, se não obtiver êxito, nada será devido à empresa. O site está temporariamente em manutenção, mas promete voltar em breve.

4. Os pontos positivos da América Latina + Os lados óbvios do intercâmbio que podem passar batidos

A última dica se refere ao destino escolhido para. A maioria das pessoas considera os países desenvolvidos, seja pelo desejo de morar em algum desses locais ou pelo que tais cantos do mundo agregam ao currículo.

Mas o NÃO ÓBVIO trouxe outra ideia para a sua bagagem: considerar um país da América Latina por conta dos diversos benefícios que eles também oferecem.

Primeiramente, sabe-se que o inglês é a língua mais importante para o mundo atual, mas para quem já tem algum conhecimento estruturado do inglês, conhecer uma terceira língua pode ser ainda mais benéfico para a profissão. Inclusive, o espanhol é a segunda língua mais falada no mundo.

Foto: Não Óbvio

Além disso, os custos com passagens, estadia, para comprar a moeda local, entre outros gastos, são bem menores para os países latino-americanos. O ensino desses países também conta com instituições de qualidade para quem estiver considerando estudar ou fazer faculdade fora do Brasil, por exemplo.

Outro motivo: entrar nesses países é menos burocrático, desde a emissão do passaporte, até demais autorizações. Inclusive, muito desses países não requerem visto de brasileiros e, em alguns casos, não pedem também passaporte – o RG é suficiente.

Além desses países terem paisagens deslumbrantes, também são mais fáceis de um brasileiro se adaptar: por conta do fuso horário e maior facilidade em se comunicar, caso não saiba falar língua alguma além do português.

Para dar suporte na escolha, o NÃO ÓBVIO separou alguns itens essenciais para levar em seu intercâmbio ou pesquisar com antecedência. Faça seu cheklist:

☌ Seguro viagem ▬ A importância do seguro viagem começa principalmente pela cobertura de atendimentos médicos de urgência e emergência. Os seguros costumam, ainda, oferecer outras garantias, como indenização no caso de extravio de bagagem ou repatriação do corpo em caso de morte. Há seguros a partir de R$ 70, mas é importante pesquisar quais os custos e benefícios que mais lhe convém.

☌ Eletrônicos com nota fiscal ▬ É importante apresentar a nota fiscal dos eletrônicos adquiridos no Brasil, para evitar problemas no retorno, com a alfândega brasileira.

☌ Vacinas obrigatórias ▬ A febre amarela é uma das vacinas obrigatórias para entrar em algum país. Cada local tem suas recomendações, principalmente nos casos de o viajante ir para locais rurais ou com muita natureza. A ANVISA recomenda se atentar para as vacinas para Hepatites A e B, Tétano e Difteria, e a Tríplice Viral.

☌ Idioma ▬ Algumas empresas não solicitam que se saiba outra língua, mas que tal tentar aprender algumas palavras básicas para conseguir se comunicar no país? É interessante saber palavras como “água”, “comida”, “banheiro”, “como chegar em x lugar?”, “ônibus”, “táxi” e por aí vai. Faça a sua lista e deixe anotado em um papel: afinal, e se a bateria do celular acabar?

☌ Medicamentos ▬ É recomendado levar analgésicos, antialérgicos e anti-inflamatórios, remédios para gripe, enjoo, para dores, kit para curativos, colírios e protetor solar.

☌ Visto ▬ É um documento emitido por um país dando à pessoa a permissão para entrar em seu território por certo período de tempo e para certas finalidades. Alguns países na América Latina, por exemplo, não requerem esse tipo de documento se o intercâmbio for de poucas semanas. É importante pesquisar esse item com antecedência.

☌ Passaporte ▬ Para tirar o passaporte, é necessário reunir a documentação necessária e fazer a solicitação na Polícia Federal. É necessário pagar uma taxa para emissão do documento. A própria PF recomenda que não sejam compradas passagens ou hospedagens sem que a pessoa tenha recebido o passaporte.

☌ Roupas adequadas ao clima ▬ É importante fazer uma pesquisa em qual estação o país de destino estará na época da viagem, para não esquecer de levar roupas essenciais.

☌ Dinheiro ▬ É essencial levar em consideração o valor da moeda local e do custo de vida. É necessário levar o suficiente para estadia, alimentação, transporte, passeios turísticos e demais gasto.

☌ Regras da companhia aérea ▬ É importante verificar as regras, afinal, podem não permitir que certos objetos embarquem.