Empreendedorismo

Quer criar uma startup? Tudo que você precisa saber sobre a fase inicial

O iBahia conversou com Rodrigo Paolilo, fundador e CEO do Grupo Rede Mais e com Rafaela Pitta, fundadora da Daredev, que ainda está na fase inicial

Lívia Oliveira (livia.oliveira@portalibahia.com.br )
- Atualizada em

A criação de uma startup é um processo complexo que exige muitas habilidades do empreendedor (a). Ele (a) precisa estar preparado (a) para encarar todas as etapas necessárias para transformar uma ideia inovadora em um negócio viável.  De acordo com a Associação Brasileira de Startups (Abstartups), o desenvolvimento de uma startup possui quatro estágios - ideação, operação, tração e scale-Up. 

Com foco nos "marinheiros de primeira viagem",  o iBahia conversou com Rodrigo Paolilo, fundador e CEO do Grupo Rede Mais (aceleradora de negócios e rede de escritórios compartilhados) e com Rafaela Pitta, fundadora da Daredev (empresa de educação para formar UX Designers), que ainda está na fase inicial, e reuniu orientações importantes sobre o estágio de ideação. 

Antes de qualquer coisa, Rodrigo Paolilo explica que é imprescindível ter em mente que o conceito de startup envolve teste, melhorias, reflexões e evoluções constantes - independente de qual seja a fase vivenciada pelo empreendedor. 

Legenda

Ideação: colocar a ideia em prática, validar a startup e começar a gerir o negócio

Identificou um problema? Idealizou uma solução inovadora que resolva o problema? É preciso saber responder com segurança qual é o diferencial do negócio, quem é o potencial cliente do negócio, como vai funcionar o serviço ou produto, como vai gerar renda e quais serão as estratégias para fisgar o cliente. 

"Os três principais itens para aumentar as chances de sucesso do negócio são validar o problema, validar a solução e validar o modelo de negócio", explicou Rodrigo Paolilo.

O CEO do Grupo Rede Mais afirmou que para fazer a validação é preciso dialogar com os potenciais clientes, seja através de formulários, entrevistas ou de outra ferramenta de pesquisa.  

"O empreendedor deve identificar se o problema que ele enxergou realmente existe e que as pessoas almejam resolvê-lo. Depois, é preciso construir um protótipo - entendimento básico do que seria a solução -  e avaliar se a solução atende os potenciais clientes através da forma como foi pensado. Por último, é necessário validar o modelo de negócio - construir um MVP (Produto Minimamente Viável) e procurar feedback sobre ele com os potenciais clientes e com mentores experientes", detalhou Rodrigo. 

Exemplo prático da fase de ideação

Rafaela - fundadora da Daredev | Foto: arquivo pessoal
Rafaela Pitta, que é especialista em UX Designer (tradução literal: design de experiência do usuário), contou que a Daredev é fruto da sua não conformidade com a forma como as empresas de educação para UX Designers atuavam no mercado e com a visão que as empresas, normalmente, têm desses profissionais.

O negócio tem como propósito de estabelecer conexões genuínas entre marcas e pessoas através de design e tecnologia  — diminuindo a distância entre o profissional e o início da carreira dele como designer.

"A Daredev é um negócio officeless ("sem escritório") e totalmente online. Hoje, estamos mais sólidos no eixo Rio-São Paulo, mas a intenção é chegar em todos que tiverem um celular ou computador", contou Rafaela, que garantiu que nos próximos meses acontecerá o lançamento da plataforma da Daredev e de dois novos produtos. 

Ao iBahia, Rafaela Pitta deixou claro que sabe que "primeiros anos de uma startup são os mais difíceis". Ela explicou que almeja tornar o negócio mais sólido para só depois se dedicar a encontrar investidores. Com relação aos programas de aceleração, a Daredev já foi submetida a dois editais e aguarda o resultado. 

Para quem enfrenta as dificuldades iniciais da criação de uma startup, a empreendedora aconselhou: "Seja apaixonado pelo problema. Invista pelo menos duas horas por dia em conversar com seus clientes/usuários - entenda a dor, pergunte o porquê e tenha foco e disciplina na execução. Pensar no futuro é muito tentador, mas a maioria das startups morrem nos primeiros anos de vida. As coisas mais importantes da sua empresa vão acontecer entre hoje e amanhã".

Sete dicas que contribuem para o processo inicial do negócio

  • Busque entender o ecossistema. Estude sobre o mercado que quer atuar e sobre empreendedorismo e startups; 
  • Participe de eventos, como o Startup Weekend e Hackathons;
  • Tenha referências profissionais, pois assim você aprenderá estratégias que pode incorporar na sua rotina de negócios. Além disso, conseguirá aprender quais comportamentos não deve repetir;
  • Identifique a persona (tipo de público) correta para convocar a responder o questionário, a entrevista ou outra ferramenta de pesquisa;
  • Tenha atenção na elaboração dos questionamentos para validação para não acabar induzindo a resposta; 
  • Evite convidar pessoas muito próximas a você para responder a pesquisa. Você precisa de feedbacks precisos para conseguir fazer as alterações necessárias e conduzir bem o processo de evolução do negócio;
  • Saiba ouvir os feedbacks e aplicar sugestões que identifique como plausíveis para evoluir o negócio.