Empreendedorismo

Quer empreender? Microempreendedores podem solicitar crédito de até R$ 15 mil

Ao todo, serão disponibilizados cerca de R$ 50 milhões em crédito pelo Banco do Nordeste em parceria com a prefeitura de Salvador

Thais Borges, do Correio 24h

Ambulantes, marceneiros, vendedores, sapateiros, borracheiros, donos de oficina e de salões de beleza. Esses são apenas alguns dos grupos que, a partir de agora, terão a chance de empreender e aumentar a renda em Salvador.

Essa é a proposta do projeto Família Empreendedora, lançado nesta terça-feira (19) pela prefeitura, em parceria com o Banco do Nordeste do Brasil S. A. O programa pode beneficiar até 340 mil famílias inscritas no Cadastro Único para Programas Sociais do governo federal (CadÚnico) em Salvador, com o acesso ao Crediamigo, uma linha de microcrédito da instituição financeira.

Ao todo, serão disponibilizados cerca de R$ 50 milhões em crédito para os soteropolitanos, de acordo com o prefeito ACM Neto. “Estamos dando o primeiro passo aqui. A ideia é fazer com que o pequeno e o microempreendedor possas ter acesso a um recurso fácil, barato e que vai permitir que ele gire sua atividade econômica e que tenha, sobretudo, uma alternativa de emprego nesse grande momento de crise”, afirmou Neto, durante a inauguração do Centro de Referência da Assistência Social (Cras) de Valéria.

"Estamos dando o primeiro passo aqui. A ideia é fazer com que o pequeno e o microempreendedor possas ter acesso a um recurso fácil, barato e que vai permitir que ele gire sua atividade econômica e que tenha, sobretudo, uma alternativa de emprego nesse grande momento de crise", ACM Neto, prefeito de Salvador

O projeto, inclusive, já começou a funcionar no Cras de Valéria, assim como nas unidades de Plataforma, Paripe e Cajazeiras. O objetivo, de acordo com a prefeitura, é esclarecer aos empreendedores informais quais são as formas de acesso ao crédito e, assim, incentivar o empreendedorismo.

“O banco do Nordeste é um grande investidor para essas famílias que querem ter a garantia de empreender a partir de uma ideia que tiveram ou que terão, a partir de um investimento sério. São principalmente mulheres chefes de família que buscam uma assistência emancipatória”, afirmou a secretária Tia Eron, titular da Secretaria Municipal de Promoção Social e Combate à Pobreza (Semps).

Crédito disponível
O valor mínimo oferecido de empréstimo é de R$ 100 e vai até R$ 6 mil. No entanto, com a renovação do empréstimo, o teto pode chegar a R$ 15 mil, dependendo do produto, da capacidade de pagamento e da estrutura do negócio, de acordo com o Banco do Nordeste.

A depender do tipo de transação contratada, os juros oscilam entre 1,2% ao mês e 2% ao mês – fora a Taxa de Abertura de Crédito de 3% sobre o valor liberado. Os prazos para pagamento vão de quatro a 24 meses. O valor médio que tem sido concedido por empreendedor em Salvador, até então, é de R$ 1,6 mil.

O Banco do Nordeste exige um aval solidário – ou seja, a formação de grupos para avalizar a cessão de crédito, com cada empreendedor sendo responsável por garantir o aval do outro. Para completar, a pessoa não pode ter restrição de crédito e é preciso atuar na área por pelo menos seis meses, mesmo que informalmente.

“A gente acredita no crédito como ferramenta libertária, por isso, operamos o maior programa de microcrédito da América Latina. Essa política sai da assistência à pobreza para ações que visem retirar as pessoas da pobreza”, explicou o superintendente estadual do Banco do Nordeste na Bahia, Antônio Jorge Guimarães, que ainda garantiu que a instituição deve investir cerca de 400 milhões em Salvador, nos próximos quatro anos – incluindo ações do programa Salvador 360.

De acordo com a secretária Tia Eron, a entrada no Crediamigo não quer dizer que as famílias venham a perder benefícios oferecidos pelo governo federal. “É importante que a população entenda que esse equipamento é onde se inicia a proposta do Crediamigo para aqueles que querem, independente das condicionalidades impostas pelo governo federal. São aqueles que querem empreender e não apenas estar dentro do benefício. É um plus para a população sobretudo, para as famílias chefiadas por mulheres”.

Segundo ela, cada um dos Cras terá capacidade para atender no entre mil e cinco mil pessoas. Atualmente, Salvador conta com 28 Cras e, até o fim do ano, o programa Família Empreendedora deve estar funcionando em todos. O funcionamento dos Cras é de segunda a sexta-feira (exceto feriados), das 8h às 12h e das 13h às 17h.  Além disso, de acordo com o prefeito ACM Neto, o serviço também será implantado nas prefeituras-bairro e em escolas municipais.

Ainda estão previstas palestras, oficinas e cursos sobre qualidade do produto e aperfeiçoamento das técnicas produtivas realizadas pelas famílias, com educação financeira, de gestão e de marketing. A prefeitura informou também que vai promover oficinas de conhecimento técnicos e específicos, bem como orientações sobre formação de preços, definição de público-alvo, estratégias de divulgação dos produtos e importância das embalagens.

Confira algumas das simulações de empréstimo do Crediamigo:

Valor Líquido    Período    Prestação**    Valor total a pagar
R$   500,00    4 parcelas    R$ 134,56    R$   538,24
R$ 1.000,00    5 parcelas    R$ 217,16    R$ 1.085,80
R$ 2.000,00    6 parcelas    R$ 365,07    R$ 2.190,42
* Simulação para o produto Giro Popular Solidário.
** Já incluído nas prestações: taxas de juros, taxa de abertura de crédito e seguro opcional. Taxa de juros (anual) de 22,42%. Taxa de juros (mensal) de 1,70%. Custo efetivo total respectivamente (anual): 42,80%; 39,42%; 37,06%.

(Fonte: Banco do Nordeste)

Quer empreender? Confira as dicas do Sebrae

As notícias podem não ser das melhores e, mesmo com os economistas prevendo uma recuperação na economia este ano, o medo de tocar o próprio negócio ainda existe. Também pudera: 2016 não foi um ano fácil para a maior parte dos brasileiros, sobretudo para aqueles que entraram na folha de corte.

Mas, mesmo que o cenário ainda não seja dos melhores, sempre é hora de pensar em buscar uma nova oportunidade. E se você é daqueles que está pensando em ser seu próprio chefe, preste atenção: sempre é uma boa hora para empreender. Basta apenas ser otimista e buscar orientações.

 De acordo com o superintendente do Sebrae Bahia, Jorge Khoury, se você tem uma qualificação também tem um motivo a mais para dar o primeiro passo.  
"É um momento de muito desemprego, então, logicamente, que você está falando de pessoas que já possuem uma certa qualificação, que trabalharam muito tempo com uma atividade específica", explica o diretor.

Então, se você já possui um certo conhecimento sobre alguma área e tem uma poupança guardada evite os pessimistas, esse é o primeiro passo, de acordo com Khoury, que um empreendedor precisar dar.  "Sempre tem alguém para dizer que vai ter um problema aqui e acolá. Você precisa demonstrar que não, mostre que é capaz e que você é auto-suficiente", pontua

O segundo passo é deixar de ser uma pessoa física e se tornar uma jurídica. E se você já é um microempreendedor individual passa a ter mais vantagens, como auxílio saúde e direito a aposentadoria. "Ele passa a ter uma participação efetiva e pode até ter um empregado que ganhe um salário mínimo, enfim, quer dizer, tudo isso dá a ele uma segurança", completa.

E lógico, buscar informações e orientações com aqueles que mais entendem. Nesse caso, o próprio Sebrae, que oferece informações sobre as melhores estratégias. "O que é Sebrae pode fazer é estar ao lado dele nesse primeiro momento, não só dando informações, mas também oferecendo os conhecimentos necessários para que ele se sinta capaz", conclui.

Dica 1 - Seja otimista
Dica 2 - Se torne uma pessoa jurídica
Dica 3 - Busque informações e capacitações