Maternidade

Recém nascidos: o que é normal e o que se deve ter atenção?

Blogueira lista situações que acontecem quando o bebê está com poucos dias de nascido

Nova Mãe

Redação Nova Mãe


Foto: Luisa Dunn Photography

Vendo algumas de recém nascidos pela internet, coisa que adoro, pois amo os ensaios newborn e cada dia estão mais lindos e criativos, me deparei com essa fofura!! E logo lembrei do meu Guilherme nessa fase, bem "zaroín" (vesguinho) e fofo demais!! E como eu tive dúvidas sobre isso, como toda mãe de primeira viagem fui pesquisar o que poderia ser e se era normal. E se você está grávida ou se seu bebezinho de vez em quando também fica vesguinho, não se preocupe, pois é super normal esse aparente estrabismo em recém nascidos!Assim como os olhinhos, o período neonatal, primeiro mês de vida do bebê, é repleto de várias descobertas e muitas coisas ainda estão imaturas e se desenvolverão. Assim como o sistema digestivo precisa amadurecer, motivo das cólicas etc, o desenvolvmento neurológico do bebê também. Segundo o médico neurolosigta Leandro Tele, o bebê nasce ainda bastante imaturo do ponto de vista neurológico e a gravidez é relativamente curta para o grau de complexidade desse sistema. Por isso grande parte do desenvolvimento neurológico ocorre depois, fora da barriga da mãe.A Visão

A visão do recém-nascido, diferente do que muita gente acredita, não é tão ruim assim. Quando ele está de olho aberto (o que ocorre na minoria do tempo, uma vez que nesta fase o bebê pode dormir até 18 horas por dia) é capaz de enxergar com certa nitidez objetos a cerca de 20 a 30 cm de distância. Abaixo e acima disso o foco não é bom. Ele pode, durante esse primeiro mês, aprender a seguir objetos de um lado para o outro. Apresente objetos relativamente grandes e coloridos. O bebe nesta fase vê um objeto de cada vez e é capaz de encarar os olhos da mãe, principalmente durante as mamadas.Com relação ao alinhamento dos olhos do bebê, que frequentemente parecem ficar vesgo em alguns momentos, este estrabismo  pode perdurar nos primeiros meses de vida devido a incapacidade de focalizar alguns objetos com ambos os olhos. O quadro oscila de intensidade e a posição é variável. Tende a diminuir a cada mês até desaparecer. Paralisias fixas para determinado movimento do olho já são mais preocupantes, afirma Teles.Audição
O recém-nascido escuta relativamente bem (alías, escuta mesmo dentro da barriga já no segundo trimestre). Se assusta e se incomoda com ruidos intensos ou desagradáveis. Sente-se confortável com a voz da mãe e geralmente gosta de música instrumental leve.Paladar e olfato

Os recém nascido sentem cheiro e gosto !! Preferem sabores adocicados como o do leite materno, alguns se irritam com odores fortes. O cheiro da mãe pode ser prontamente reconhecido pelo bebê.Movimentação do bebê

O recém nascido é ainda bem molinho e desajeitado. Sua cabeça é relativamente grande e pesada em relação ao seu corpo, ele não consegue sustentá-la nesta fase (por isso devemos sempre apoiar a cabeça ao segurá-lo). Ele vira a cabeça de um lado para o outro quando deitado e movimenta os braços e pernas principalmente quando incomodado.Alguns reflexos motores são bastante evidentes nesta fase da vida:

1) Reflexo da mão = ao encostar o dedo na palma da mão do bebê este a fecha com bastante força.

2) Reflexo do pé = ao colocar o dedo na base dos dedinhos do pé o bebê agarra o seu dedo com o pé.

3) Reflexo dos dedos do pé = ao raspar levemente a sola do pé com a ponta de seu dedo (pelo canto mais externo) ocorre imediata abertura dos dedinhos do bebê.

4) Reflexo de marcha = esse é um dos mais surpreendentes. Ao colocar o bebê recém–nascido em pé e tocar seus pés no solo, este estica uma perna e flexiona a outra, alternando esse padrão entre uma perna e outra simulando uma caminhada.

5) Reflexo de Moro = esse o bebê faz toda hora. Qualquer mudança abrupta de posição, ou mesmo um barulho intenso faz com que o recém nascido abre os braços e depois traga-os de volta para próximo do tronco.

6) Mioclonias do sono = muitos bebês apresentam movimentos abruptos nos membros, ora na perna ora no braço, quando estão dormindo. Esses movimentos parecem choques, são rápidos e podem ser amplos. Isso é normal nessa fase da vida. Muitos pais e pediatras podem confundir esses movimentos com epilepsia. As mioclonias benignas ocorrem sempre no sono, variam de lado e geralmente poupam a face do bebê. A tendência é desaparecerem sozinhas até o terceiro mês de vida.O Neurologista Leandro Teles é especialista em doenças e distúrbios neurológicos  e atende em São Paulo/SP.