Saúde

Remédio para tratar eczema pode ajudar a combater calvície

Médicos notaram crescimento de cabelo em paciente que não tinha pelos desde os 2 anos de idade

Agência O Globo

Um grupo de médicos americanos identificou um efeito colateral do medicamento Dupilumabe que pode ser uma ferramenta para combater a calvície. Os especialistas observaram que uma jovem com total falta de cabelo, que havia sido submetida ao tratamento de um eczema utilizando o medicamento, apresentou crescimento significativo de novos fios de cabelo. 

A paciente analisada, que tem 13 anos de idade, apresentava um eczema resistente desde os sete meses de idade e passou a ser tratada com o medicamento. Além do eczema ela tem um quadro de calvície de longa duração e desde os dois anos de idade seus cabelos não tinham crescido.

Em julho de 2017, ela passou a ser tratada com Dupilumabe, e após uso contínuo de doses do medicamento, os médicos começaram a notar o crescimento de alguns pelos finos na cabeça. Até o aparecimento dos primeiros fios, o  remédio foi ministrado durante seis semanas. Onze meses depois, a quantidade de cabelo já era significativa.

"Ficamos muito surpresos, uma vez que essa paciente não apresentava crescimento de cabelo desde os 2 anos de idade, e outros tratamentos que podem ajudar na perda de cabelo não funcionaram no caso dela. Até onde sabemos, este é o primeiro relato de crescimento do cabelo com dupilumabe em um paciente com qualquer grau de alopecia areata (calvície em áreas específicas)", afirmou Maryanne Makredes Senna, do Departamento de Dermatologia do Hospital Geral de Massachusetts.

Os pesquisadoras explicam que o que pode estar por trás do efeito colateral do medicamento é o fato de a droga direcionar uma via do sistema imunológico que, segundo estudos recentes, pode induzir a queda de cabelo. Essa mesma via é alvo do medicamento por ser ativa no surgimento de eczemas.