Eleições 2018

Saiba o que esperar da sabatina promovida pela parceria CORREIO/iBahia

Jornalista Maíra Azevedo dá detalhes sobre o evento, que acontece, com transmissão ao vivo, de terça (4) a quinta (6)

Kelven Figueiredo*, do Correio 24 horas

Sob o comando do editor de política e economia do CORREIO Donaldson Gomes e da jornalista e influenciadora digital Maíra Azevedo, a sabatina dos candidatos ao governo da Bahia promete dar tempo suficiente ao eleitor para que ele conheça os principais candidatos ao cargo. Realizada pelo CORREIO em parceria com o iBahia, a primeira sabatina de uma série de seis começará na próxima terça (4) e deverá acontecer até quinta (6), sempre com dois candidatos sabatinados por dia (às 11h e às 13h). Tudo ao vivo e sem cortes diretamente dos canais digitais do CORREIO e do iBahia.

(Foto: Divulgação)

Toda a sabatina durará 1h, dividida em quatro bloco de 15 minutos cada. No primeiro bloco, o candidato poderá se apresentar ao público respondendo uma pergunta comum a todos e outra feita por um adversário, que foi sorteado previamente na presença dos assessores de cada candidato. Nos demais blocos, apresentarão seus projetos e responderão perguntas, tanto dos jornalistas que comandam a sabatina, quanto dos internautas e ainda de eleitores que foram entrevistados e resolveram mandar um questionamento, em intervenção feita na estação da Lapa.

Donaldson Gomes considera que a sabatina é tão importante quanto os debates. “Eu considero que a sabatina permite ter uma ideia melhor das propostas do candidato porque dá para você conhecer com mais profundidade os planos de governo de cada um. Já no debate, por ter pouco tempo, o espectador só consegue perceber o perfil de cada candidato e como ele reage sob pressão”, pontua. Donaldson ainda ressalta que ambas as modalidades são importantes para ajudar o eleitor na sua difícil e importante decisão.

A jornalista Maíra Azevedo, que dividirá a bancada com Donaldson, fala um pouco sobre a importância da sabatina e ainda dá algumas dicas para os eleitores que estão indecisos quanto ao voto. Confira:

Por que você acha que essa sabatina é importante?

Porque as pessoas têm uma oportunidade de conhecer melhor os candidatos e candidatas. Existem algumas questões que eles não conseguem colocar dentro do horário eleitoral, ou não falam durante suas caminhadas, e na sabatina nós podemos perguntar e ver a reação, porque eu acredito que, para além das palavras, o corpo também fala. Podemos notar como esses candidatos, ou essas candidatas, reagem diante de certos temas.

Qual a importância de ter alguém como você, que representa as mulheres negras e periféricas, à frente deste debate?

Eu represento minorias políticas, mas que são maioria na sociedade. Ainda que eu não represente todas as pessoas, tenho a cara da maior parte da população. Existem muitas pessoas por aí que não entendem o significado de representatividade, que não é apenas uma palavra de efeito, mas algo que assegura vidas. 

O que você acha que o eleitor precisa estar atento para escolher um candidato?

O eleitor(a) precisa estar atento(a), vigilante, naquilo que aquela pessoa representa. Qual projeto político aquela pessoa significa? Porque às vezes você gosta de alguém, que tem uma imagem bacana, mas aquela pessoa tem um projeto que é danoso e pode nos prejudicar. Acho fundamental você olhar a vida pregressa do(a) candidato(a). Acho que você tem mesmo que fazer uma análise do currículo dessas pessoas. 

O que os espectadores podem esperar de Maíra Azevedo na sabatina com os candidatos?

Eu sou jornalista de formação, mas o que eu quero levar para a sabatina é a Maíra eleitora, cidadã, que está atenta. Porque eu quero saber qual candidato(a) de fato merece meu voto. Inclusive vou aproveitar essa oportunidade para fazer perguntas que poucas pessoas fazem. [...] Quero saber como essas pessoas lidam diante de temas que mexem com a vida de pessoas que têm a cara igual à minha.

*Sob supervisão da editora Doris Miranda