Carros

Saiba o que fazer em caso de colisão no trânsito

O ideal é manter a calma e seguir o passo a passo pós-batida

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)

Batida de carro pode acontecer em uma via rápida, em uma viagem e até perto de casa. Por isso, os motoristas precisam ficar preparados para qualquer situação. O diretor do Porto Seguro Auto, Jaime Soares, listou quatro coisas para fazer após uma colisão.

Foto: reprodução
1 – Tente conduzir o seu carro para o acostamento

Em casos de acidentes leves, sem vítimas, tente conduzir seu automóvel para um lugar mais seguro da via, de preferência o acostamento. “Muitas vezes, o segurado acredita que só será ressarcido se ele acionar a seguradora no local exato do acidente. O que não é verdade”, explicou Jaime Soares.

 Caso não seja possível retirar o veículo da via, saia do veículo e sinalize o acidente com o triângulo a 30 metros da traseira do veículo.  

2 – Acione o Samu, Polícia e Seguradora/Corretor

Em casos de acidente com vítimas ou transtornos com terceiros, é importante que o Samu seja o primeiro acionado e, também, a polícia para conduzir a situação. Os segurados também devem acionar a seguradora para acertar todos os trâmites.

3 – Guincho

O motorista deve aguardar o guincho sem fazer nenhuma alteração nos danos causados pela colisão. O guincho vai prestar todo o suporte ao segurado, tirar fotos para registrar o ocorrido e encaminhar o veículo para vistoria e análise do sinistro.

4 – Abertura de Aviso de Sinistro

Após tomar todas as providências inicias para resolver a situação, a pessoa deve abrir um aviso de sinistro na seguradora. Em situações de colisão, o ideal é que a pessoa tenha contratado cobertura de Acidentes Pessoais de Passageiros e cobertura RCF-V (Responsabilidade Civil Facultativa Veicular) para os casos de sinistro.

A cobertura de Acidentes Pessoais de Passageiros
paga indenização aos passageiros e ao motorista, ou aos seus beneficiários, caso eles sofram lesão corporal. A indenização também serve em situação de fatalidade em um acidente de trânsito.

Já o RCF-V, que é mais conhecida como cobertura de danos à terceiros, garante o reembolso de um valor a ser pago por conta de danos causados a outras pessoas envolvidas no acidente, sejam eles materiais ou pessoais.