Economia

Sem aperto: veja como minimizar impactos da crise no seu orçamento familiar

Especialista indica caminhos para administrar melhor as finanças nesse período

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)
- Atualizada em

Entre todas as implicações da pandemia do novo coronavírus, as consequências econômicas é uma das que mais preocupam os brasileiros. Por conta disso, é preciso ter cautela e planejar corretamente todas as ações que envolvam dinheiro nesse período. 

Foto: Reprodução

Para ajudar nessa tarefa, a consultora e educadora financeira Kamila Santos, especialista em gestão orçamentária, listou algumas medidas que podem auxiliar a minimizar os impactos da crise no orçamento familiar. Confira as dicas:

Faça a análise dos gastos
Para Kamila, o primeiro passo é elencar todos os seus gastos, em seguida classificar em essencial, importante e supérfluo. E, por último, definir as ações como: quais gastos tenho a possibilidade de cortar ou reduzir. É preciso avaliar essa possibilidade em assinaturas de TV a cabo, serviços de streaming, pacotes de conta telefônica, internet e celular.

É importante também considerar que cada caso deve ser analisado para entender a real necessidade e uso dos serviços. Aproveite para cancelar também assinaturas de e-mails de lojas e marcas e desative as notificações de apps de compras. Essas ações combatem o gatilho de sugestionamento da compra por impulso.

Cuidado com o consumo exagerado em casa
Nesse momento de isolamento é inevitável que os custos de energia, água, e gás aumentem, já que a família estará mais em casa. No entanto, é preciso estar atento para consumir com consciência. Não deixar luzes acesas e aparelhos ligados que não estejam sendo utilizados e economizar na água.

Parecem pequenos gestos, mas que refletem na conta do final do mês e geram uma economia anual. Outra coisa importante é saber dosar os serviços delivery, que apesar de serem muito úteis nesse momento podem acarretar um custo extra no mês.

Como lidar com as dívidas que irão atrasar?
A especialista indica que, nesse momento, renegociar é o melhor caminho. Parar de pagar só no último caso. Se a dívida for no cartão de crédito, verifique a possibilidade de parcelar ou contratar algum empréstimo. A taxa de juros do crédito rotativo são as mais altas do mercado, então é melhor buscas opções como parcelamento da fatura, empréstimo pessoal, e até o consignado, que são opções mais baratas para quitar a dívida. Em caso de aluguel, também vale negociar com o locatário uma carência de 30/60 dias no pagamento.

Crie novas oportunidades para aumentar sua renda
Busque entre seus pertences algo que não use, esteja conservado e possa vender. Existem várias plataformas online com esse objetivo e as próprias redes sociais podem ajudar. Use a criatividade! Pergunte-se do que as pessoas estão precisando nesse momento que você pode usar seus conhecimentos para gerar renda extra. Ex: Consultorias; produtos alimentícios; opções de lazer para o lar. Para os empreendedores existem também algumas oportunidades, como passar a atuar em canais online, inserir entregas delivery, antecipar receitas com venda de pacotes para ser utilizados pós quarentena.

Atenção com o dinheiro fácil
Em momentos de fragilidade acabamos buscando créditos virtuais devido à facilidade no acesso, como limite do cheque especial ou pagar apenas o valor mínimo do cartão de crédito. O processo burocrático para captar recursos de terceiros, como empréstimos, acaba influenciando para que as pessoas optem por outros meios, muitas vezes, sem saber o impacto da carga de juros embutido naquela transação, e como consequência, a gravidade do problema pode ser ainda maior. Busque informações antes de tomar qualquer decisão, até para evitar cair em fraudes.

Seja consciente e acompanhe os gastos de perto
Kamila considera também que controlar os gastos e a impulsividade é essencial para organizar a vida financeira. Esse é um momento que exige muito equilíbrio emocional. Se for ao mercado prepare uma lista do que é essencial. Não estoque itens, porque além de você fazer um gasto maior e desnecessário, pode perder a validade do produto e privar outras pessoas de consumirem também.

Se realmente precisar comprar algo, compare preços, procure cupons online de desconto e serviços de cashback. Tenha sempre todos os gastos listados, a ideia é que, naturalmente, você ganhe mais consciência sobre suas despesas e consiga equilibrar melhor seu orçamento.

Se você ainda não tem, pense em construir uma reserva de emergência
É em momentos de crise como esse que entendemos a importância de ter uma reserva emergencial, que nada mais é do que um fundo onde você deve guardar parte do seu dinheiro para situações de emergência.

É possível construir essa reserva destinando uma parcela mensal que você pode alocar em um investimento que te permita resgatar o dinheiro a qualquer momento, como poupança, tesouro direto, CDB, entre outros. O ideal é conseguir economizar o equivalente a pelo menos 3 meses do seu custo de vida mensal e deixar esse dinheiro lá para ser usado em períodos de escassez.