Comportamento

Sete dicas para inserir a meditação ideal no dia a dia

Exercício que nos tira da espiral de estresse da rotina

Agência O Globo

A meditação é um exercício que nos tira da espiral de estresse do dia a dia e nos coloca em contato com o eu interior; praticá-la pode ser um alívio. Adriana Sandini Mioto, professora do Brahma Kumaris, ensina como inserir a prática na rotina.

1. Estude e faça na prática
Pesquisar e ler sobre as diversas linhas de meditação é extremamente importante, mas não fique restrita a isso. Experimentar é a palavra-chave para se ter uma exata noção do caminho a seguir. Há vários grupos de formação e execução que podem ajudá-la a ter uma ideia básica dos benefícios de cada método.

2. Cardápio vasto
Muitas vertentes da prática meditativa estão ligadas à ioga. Se está acostumada com essa filosofia ou tem curiosidade a seu respeito, você pode testar várias coisas. De mantras ao silêncio absoluto, passando pela mistura com exercício físico, há opções para muitos perfis.


3. Lugar de conforto
Claramente, a meditação tem como objetivo diminuir a ansiedade e proporcionar bem-estar. Mas é importante a pessoa saber o que quer alcançar além disso. Na raja-ioga, por exemplo, a base da técnica é usar e recriar os pensamentos, deixando-os mais positivos para se viver em relacionamentos melhores.

4. Sem conexão divina
É possível não misturar meditação com espiritualidade. Quem não quer trabalhar esse aspecto pode investir no mindfulness, ou atenção plena, que tem sido muito explorado na psicoterapia.

5.Leve para a vida
Meditar apenas em uma determinada hora do dia pode reduzir o efeito. A técnica deve proporcionar liberdade para ser usada de forma independente e autônoma, no trabalho, em viagens ou em qualquer lugar.

6. De acordo com os gostos
Meditar não pode ser um suplício. O objetivo não é atrapalhar sua rotina, por isso não adianta escolher a manhã como horário da prática se você odeia acordar cedo. A melhor técnica vai ser aquela que complemente o seu a dia de dia de forma orgânica.

7. Avalie sempre
Os benefícios da meditação são imediatos, mas podem melhorar ao longo do tempo. Por isso, é muito importante que se faça uma avaliação (ou você mesma, ou um professor), de tempos em tempos, para tentar perceber claramente as mudanças positivas geradas por esse hábito.