Educação

Sites simulam destino de alunos após Enem; projeções são feitas com base em notas de corte anterior

A nota do Enem já serve para entrar em universidades públicas e privadas, centros técnicos e até instituições de Portugal

Thiago Freire
- Atualizada em
Para grande parte dos 5,8 milhões que já prestaram o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), no início do mês, o teste é o primeiro passo para ingressar no ensino superior. O que fazer depois de receber o resultado, no entanto, pode gerar dúvidas, já que as possibilidades são muitas. A nota do Enem já serve para entrar em universidades públicas e privadas, centros técnicos e até instituições de Portugal. Para ajudar, alguns sites oferecem simuladores que mostram o que é possível fazer com a sua nota do exame e, principalmente, onde a nota do aluno na prova deste ano pode garantir uma vaga no curso desejado.
Desempregada, a estudante Larissa Moscoso, 29 anos, fez o Enem no início do mês e espera entrar numa faculdade, mas não sabe por qual caminho. “Ainda não sei se vou conseguir passar pelo Sisu (Sistema de Seleção Unificado), ou Prouni (Programa Universidade para Todos). Dependendo da minha nota é que vou ver realmente para onde vou”, planeja a jovem, que ainda está em dúvida se cursa Recursos Humanos ou Assistência Social.


Programas federais
Entre os sites que mostram o que é possível fazer com a nota do exame está o QueroBolsa, que é focado nos programas do governo federal. O serviço permite verificar as notas de corte para passar no Sistema de Seleção Unificado (Sisu), Programa Universidade para Todos (Prouni) e Fundo de Financiamento Estudantil (Fies). O usuário precisa apenas preencher um formulário informando o curso pretendido, a cidade e a nota média no Enem.
Após esse passo, é possível verificar em quais faculdades, e através de quais programas, o candidato tem chance de ingressar com o desempenho na prova, levando em consideração as notas de corte das edições anteriores. Por exemplo, o candidato que queira cursar Direito em uma faculdade de Salvador, vai conseguir ver as notas de corte da Universidade Federal da Bahia (745), Universidade Jorge Amado (623), Faculdade Ruy Barbosa (680), entre outras instituições.
Diferente de Larissa, a estudante Anaís Mattos, 19, já sabe o que quer. “Já faço Arquitetura na Unifacs. Quero apenas ver se consigo passar na Ufba. Se for para ir para outra particular, prefiro ficar aqui. Só mudo se for para a Ufba”, afirma ela, embora não tenha certeza se vai conseguir satisfazer seu desejo. “Fiz (o exame deste ano) sem estudar, não tive acompanhamento de cursinho, nem professor. Já faço faculdade e trabalho, então tinha pouco tempo livre. Mas dentro de meus limites, gostei de meu resultado”, disse ela, se autoavaliando.
Mapa do Sisu
Para quem, como Larissa, quer checar apenas se vai conseguir passar em universidades públicas, uma boa ferramenta é o Mapa do Sisu. Após realizar um cadastro, o site pede três opções de curso, a nota de cada prova do Enem e, opcionalmente, estado e cidade pretendidos.
O simulador mostra então todos os cursos disponíveis e se o aluno passaria ou não. Para isso, a ferramenta calcula a nota do aluno já ponderada pelos respectivos pesos de cada curso e compara com a nota de corte do ano passado. O Mapa do Sisu mostra ainda a nota de corte de cada dia da seleção.
Prounistas 
Para quem pensa em cursar uma faculdade privada, e quer financiar a mensalidade, seja total ou parcialmente, o Fies tem um simulador oficial, que pode ser acessado na aba Simulação do site. Nele, o usuário informa quantos semestres faltam para concluir o curso, o valor da mensalidade e o percentual dela que precisa ser financiada.
Ainda é possível informar se possui bolsa Prouni de 25% ou 50% - os prounistas podem financiar o restante da mensalidade. A ferramenta responde com a lista de todas as parcelas a ser pagas, com data e valor, das fases de utilização, carência e amortização.
Para que serve e para onde o Enem pode levar
Ingressar em uma universidade pública A maior parte das universidades públicas já deixou de realizar um vestibular próprio e passou a usar a nota do Exame Nacional do Ensino Médio  (Enem) como seleção, através do Sistema de Seleção Unificada (Sisu). Na Bahia, apenas a Universidade Estadual de Feira de Santana (Uefs) não adotou o sistema ainda. Outras estaduais disponibilizam parte das vagas, mas mantêm o vestibular para o restante. Já as instituições federais do estado usam somente o Sisu. O único requisito é ter feito o Enem no ano imediatamente anterior. Um outro sistema, denominado Sisutec, seleciona estudantes para cursos técnicos também com base na nota do exame.
Ganhar bolsa de estudos em faculdade particular O Programa Universidade Para Todos (Prouni), que oferece bolsas de estudos em instituições privadas, também seleciona os candidatos pela nota do Enem. Para participar, precisa ter renda familiar per capita de até três salários mínimos, ter feito Enem no ano imediatamente anterior, não ter zerado a redação e ter tirado ao menos 450 pontos nas provas objetivas.
Financiar as mensalidades com juros baixos 
Com o Fies, é possível financiar a mensalidade da faculdade com juros de 6,5% ao ano. Durante o curso, o estudante paga uma taxa trimestral, mas de baixo valor. Após 18 meses de conclusão, o financiamento começa a ser amortizado com parcelas mensais, por um prazo de até três vezes o período total do curso. Para se inscrever, os requisitos são os mesmos do Prouni, mas pode ter feito Enem a partir de 2010.
Entrar na faculdade privada sem fazer vestibular
Muitas instituições privadas já fazem como as públicas e aceitam a nota do Enem como critério de seleção. Cada faculdade cria suas regras. Por exemplo, a Unijorge, em Salvador, exige um mínimo de 450 pontos no Enem.
Fazer uma graduação em Portugal
Algumas universidades renomadas de Portugal, como a de Coimbra e da Beira Interior, aceitam a nota do Enem para entrar na instituição. Cada uma tem um sistema diferente de peso das provas do exame, que também depende do curso pretendido, para definir quem pode entrar. Nenhuma delas é gratuita, mas existe a possibilidade de bolsas parciais.
Ter um certificado de conclusão do ensino médio
Quem tem mais de 18 anos e ainda não completou o ensino médio, pode fazer o Enem para ter o certificado. Vale como comprovante oficial de escolaridade, inclusive para concorrer em concursos. É preciso tirar ao menos 450 pontos nas provas objetivas e 500 pontos na redação.
Correio24horas