Tecnologia

Spotify vai excluir contas que usarem bloqueadores de anúncios

Serviço de streaming alerta usuários que 'recursos fraudulentos' não serão permitidos em seu app

Agência O Globo

O maior serviço de streaming de música do planeta, o Spotify, alertou seus usuários que vai passar a excluir contas que utilizem bloqueadores de anúncios no serviço. Segundo o site de tecnologia Tech Crunch, numa atualização de de seus termos de uso, o software avisou que "todos os tipos de bloqueadores de anúncios, bots [softwares robôs] e outras atividades fraudulentas não são permitidas" no serviço.

As contas de usuários que insistirem em usar tais recursos contra a publicidade serão encerradas a partir do próximo dia 1º de março, quando entram em vigor as novas condições de utilização do aplicativo.

Segundo o Spotify, quaisquer tentativas de bloquear ou contornar os anúncios, ou de "distribuir ferramentas e extensões projetadas para fazê-lo" resultarão "no encerramento imediato de sua conta no Spotify".

Segundo o Crunch, os bloqueadores de anúncios sempre foram um problema para o Spotify, que em 2018 revelou ter descoberto mais de 2 milhões de usuários se valendo dessa tecnologia para evitar ver a publicidade na versão gratuita do app. Existem aplicativos no sistema operacional Android, do Google, que permitem o aceso ao serviço de música cortando a visualização de anúncios.

Esta semana, a companhia sueca comprou as empresas Gimlet Media e Anchor FM, especializadas em podcasts, buscando competir com a Apple, atualmente o mais popular distribuidor no setor. O valor das operações não foi divulgado, mas relatórios indicaram que só a Gimlet valeria US$ 200 milhões.

O Spotify informou que planeja investir entre US$ 400 milhões e US$ 500 milhões em aquisições este ano.  A empresa também divulgou seus resultados trimestrais e surpreendeu o mercado positivamente com um lucro de 94 milhões de euros. No quarto trimestre de 2017, o Spotify teve um prejuízo de 87 milhões de euros, e analistas projetavam para o mesmo período de 2018 uma perda de 16 milhões de euros.