Mundo

Suspeitos confessam ter assaltado Kim Kardashian em Paris

Ao todo, 14 suspeitos continuam detidos para interrogatório enquanto três deles - entre esses um ex-motorista da americana - já foram liberados

Agência O Globo
Parte dos detidos suspeitos de envolvimento com o roubo de joias da socialite Kim Kardashian, em Paris, já confessaram a participação no crime à polícia francesa, informou a rede de televisão local "LCI". Ao todo, 14 suspeitos continuam detidos para interrogatório enquanto três deles - entre esses um ex-motorista da americana - já foram liberados.
De acordo com a publicação, o crime foi cometido por seis homens com idades entre 54 e 72 anos, cujos nomes ainda não foram divulgados. Cinco invadiram o hotel onde a socialite estava e levaram o equivalente a 9 milhões de euros em joias enquanto um comparsa os esperada perto do local em um carro. Esses criminosos já possuiam passagem pela polícia por tráfico e roubo.
Entre os suspeitos que ainda estão detidos está Gary M., de 27 anos, que já foi motorista de Kim Kardashian. O irmão dele Michael, que também havia sido preso, já foi libertado na última quarta-feira. A publicação não esclarece se Gary está entre os suspeitos que confessou participação no assalto.
A polícia francesa também já sabe que dois homens voaram para a Antuérpia, na Bélgica, onde podem ter vendido as joias de Kim para o mercado ilegal. Investigadores acreditam, por isso, que os pertences não poderão mais ser recuperados - entre esses o anel de noivado da morena avaliado em US$ 4 milhões.
O tabloide "TMZ" acrescentou, nesta quinta-feira, que Kim Kardashian não precisará viajar para Paris para depor sobre o caso. Segundo fontes da publicação, o juiz do caso deve ir aos Estados Unidos, onde ela vive, para ouvi-la.