Sustentabilidade

Tamar lança campanha no Dia Internacional das Tartarugas Marinhas

O dia é celebrado neste sábado (16) com o lançamento da campanha 'Galera da Praia'

Da Redação*
Neste sábado (16), dia internacional das tartarugas marinhas, o Projeto Tamar lança a campanha 'Galera da Praia'. Através dela, cinco tartarugas marinhas chamadas Dermón, Cabeção, Kelly Pente, Nana e Oliver, vão promover a conscientização ambiental, incentivar a preservação e levar conhecimento sobre estes animais.

Segundo Neca Marcovaldi, coordenadora técnica nacional do projeto Tamar, a ideia é trazer para as pessoas de uma forma divertida e lúdica, informações sobre as tartarugas marinhas e curiosidades sobre os ciclos de vida destes animais. "É uma tentativa divertida de aproximar as pessoas das tartarugas marinhas", explica.

Cada personagem representa uma espécie de tartaruga (cabeçuda, de pente, verde, oliva e de couro). A forma como os animais vão aparecer ainda está sendo pensada. A ideia, de acordo com a coordenadora, é veicular como história em quadrinhos e utilizar os personagens na sinalização do centro de visitantes, em cartazes e na sinalização das praias.
Esta é a 'Galera da Praia'

"Os personagens são super simpáticos. Vão atigir o mundo infantil, mas vão trazer mensagens também para os adultos", explica Neca. Ela chama atenção que, apesar de serem lúdicos, os personagens vão trazer mensagens reais, a exemplo de ameaças e de como as pessoas podem colaborar com a preservação.

Neste sábado, o iBahia também faz uma homenagem ao Dia Internacional das Tartarugas Marinhas. No canal Mundo Sustentável, será inaugurado um espaço, no qual os internautas poderão ficar por dentro das notícias relacionadas às tartarugas marinhas e ao Projeto Tamar, fruto de uma parceria do portal com o projeto.

Dia Internacional das Tartarugas Marinhas
O dia 16 de junho foi escolhido para celebrar o Dia Internacional das Tartarugas Marinhas como homenagem ao nascimento do Dr. Archie Carr, um dos mais importantes pesquisadores da área de conservação destes animais. O pesquisador americano contribuiu para grande parte do conhecimento sobre a biologia e o ciclo de vida das tartarugas.

O projeto
Criado em 1980, o Projeto Tamar atua na pesquisa, proteção e manejo das cinco espécies de tartarugas marinhas que ocorrem no Brasil: cabeçuda (Caretta caretta), de pente (Eretmochelys imbricata), verde (Chelonia mydas), oliva (Lepidochelys olivacea) e de couro (Dermochelys coriacea), todas ameaçadas de extinção. O projeto é co-administrado pela Fundação Pró-Tamar com parceria do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) e da Fundação Pró-Tamar, com o patrocínio da Petrobras.

O Tamar protege aproximadamente 1.100 quilômetros de praias, através de 23 bases de pesquisa mantidas em áreas de alimentação, desova, crescimento e descanso desses animais, no litoral e ilhas oceânicas da Bahia, Sergipe, Pernambuco (Fernando de Noronha), Rio Grande do Norte (Atol das Rocas), Ceará, Espírito Santo, Rio de Janeiro, São Paulo e Santa Catarina. Na Bahia, há quatro bases, situadas em Sauípe, Sítio do Conde, Praia do Forte e Arembepe. A Praia do Forte é lugar de maior concentração de desovas de tartarugas cabeçudas do Brasil.

Com mais de 30 anos de história, o projeto já devolveu ao mar 12 milhões de filhotes de tartaruga. Durante a 31ª temporada reprodutiva das tartarugas marinhas (2011/2012), foram registrados e protegidos 17 mil ninhos e 1 milhão e 200 mil filhotes foram salvos. Os dados correspondem ao período entre setembro e março, prolongando-se em algumas praias até abril e são fruto do trabalho de conservação de 16 bases de pesquisa instaladas em áreas do litoral, sem computar os dados das ilhas oceânicas e das áreas de alimentação.

*Com informações do site do Projeto Tamar