Moda e Beleza

Tênis ganham versões de luxo e viram o acessório do momento

It-sneakers substituem as it-bags na preferência dos consumidores

Agência O Globo

Quanto vale um par de tênis? Para a indústria da moda, muito. O calçado com solado de borracha, que surgiu no século XIX e passou a redefinir o jeito de as pessoas se movimentarem, ganha mais um capítulo em sua surpreendente trajetória esportiva. Modelos de luxo, criados pelas grifes mais influentes do planeta, roubam a cena e se transformam nos novos objetos de desejo da moda. No lugar das it-bags, entram em campo os it-sneakers.

Prova dessa relevância pode ser comprovada em números bilionários. De acordo com o site “The Business of Fashion”, as vendas globais de tênis subiram 10%, atingindo 3,5 bilhões de euros em 2017, ultrapassando as bolsas, cujas vendas aumentaram 7%. O fenômeno, que ganhou até um termo, “snakerisation”, é mesmo abrangente. A tendência foi aderida pelas principais marcas de luxo do planeta fashion. O percurso é arrebatador: os modelos saem de passarelas de prestígio para, em seguida, aparecer nos pés de influenciadores explosivos; na sequência, voltam para onde tudo começou: as ruas, ganhando mil adaptações nos looks de streetstyle.

Para atingir o consumidor, não se poupa criatividade. E o que não faltam são referências para ativar o gatilho do consumo. A Balenciaga lançou o Speed Racer, união de uma meia com solado de borracha, e resgatou o formato dos tênis dos anos 1990 ao emplacar os “daddy shoes”, que viraram uma verdadeira febre. O modelo batizado Triple X, criado pelo diretor-criativo da marca, Demna Gvasalia, tem três camadas de sola e acabamento que dá impressão de que o tênis já foi usado. Outra marca que aposta no visual “sujinho” é a italiana Golden Goose Deluxe Brand. As laterais garantem efeito detonado e contrastam com o couro prateado, que faz o modelo da vez brilhar ainda mais. Nos sneakers da americana Opening Ceremony, é o glitter em tons vibrantes que reluz. Já as versões das grifes Gucci, Emilio Pucci, Valentino, Louis Vuitton e Dolce & Gabbana exibem frases, cores, símbolos e pedrarias para se destacar no universo atlético. A Dior também pisa forte: já usou símbolos clássicos da maison, assim como a logomania.

Para o presidente da MCF consultoria, Carlos Ferreirinha, a ascensão dos tênis no mercado de luxo simboliza uma mudança de paradigma.

— Antes, os sneakers apareciam em forma de pílulas nas coleções. Hoje, fazem parte da construção estratégica das grifes de luxo, que estão precisando se ressignificar.

De acordo com o consultor, a escolha do tênis não é aleatória: o calçado reúne valores que passaram a ser essenciais ao mundo e à moda, como sustentabilidade, inclusão e feedback social. E é essa nova linguagem que reverbera nas ruas e nas redes sociais.

— Tudo isso é fruto do espírito millennial, que, vale ressaltar, não tem a ver apenas com idade. Estamos todos mais informais, trabalhando em coworkings, derrubando paredes. O estilo casual predomina. É impossível as marcas de luxo expandirem e conquistarem os consumidores jovens sem dialogar com os novos tempos — afirma Ferreirinha.

Apesar de os tênis terem a democracia em seu DNA, um modelo de luxo custa cerca de R$ 4 mil, evidenciando que a intenção das grifes é se atualizar sem perder a exclusividade.

— Estão ocupando o lugar que já foi das bolsas. O consumidor acaba pagando mais por acessórios do que por roupas — acredita Dione Occhipinti, professora do Instituto Marangoni de Paris.

Modelo Golden Goose Deluxe Brand - Reprodução de Instagram

E marcas esportivas tradicionais, como Nike, Puma e Adidas, de que maneira vão se situar nesse novo cenário? De acordo com Daniela Penteado, especialista do portal de tendências elas deverão cruzar outras fronteiras.

— Em um mercado saturado, as empresas especializadas em esporte vão ter que alcançar países emergentes da Ásia e do Oriente Médio.

No Brasil, grifes como a Fiever suprem o desejo de consumidores ávidos por estilo nos pés. Recém-lançado pela marca, o sneaker pesadão vem a calhar e vai muito além da academia.

— O novo styling enfatiza o efeito hi-lo, criado pela combinação de roupas minimalistas com tênis grandes — resume Daniela Penteado.

Agora é o tênis quem faz a festa.