Economia

Ter um cachorro custa o equivalente a dois carros populares 0km

Gasto ainda pode ser maior se o bichinho apresentar algum problema de saúde

Agência O Globo

O Brasil tem cerca de 32 milhões de animais de estimação e o terceiro maior mercado pet do mundo, com um movimento anual de R$ 25 bilhões. Um cachorro pode servir como companhia e oferecer carinho, melhorando bem-estar psicológico. Mas, antes de decidir ter um, é preciso colocar na ponta do lápis todos os prováveis gastos, já que o custo de um cão de porte médio ao longo da vida pode chegar a R$ 66 mil, o equivalente ao preço de dois carros populares 0km.

De acordo com o educador financeiro do canal de YouTube 1Bilhão, Fabrizio Gueratto, as despesas financeiras também são motivo de abandono de animais, porque as pessoas só levam em conta o que gastarão com ração e água:

— Ter um cachorro é como comprar um carro e pensar só na parcela do financiamento. Também tem IPVA, seguro... De 50 anos para cá, o tratamento dado ao cão mudou muito. As pessoas cuidam como filhos, e há diversos gastos extras para o bem-estar do animal.

O cálculo feito pelo educador financeiro diz respeito a despesas com pet shop, hotel para animais, alimentação, vacinas, remédios e plano de saúde, além de brinquedos para um cão de porte médio, criado por uma família de classe média. O custo desse pet ultrapassa os R$ 66 mil até o fim da vida do animal, custo maior do que os valores somados de dois carros Renault Kwid, de R$ 32.490, cada.

Somente com ração, mensalmente, será necessário um investimento de R$ 135, o que significa R$ 1.620 a cada ano. No período de dez anos, que é a expectativa de vida média de um cachorro deste tamanho, o montante sobe para R$ 16.200.

Além da ração, a cada 15 dias, pelo menos, o animal precisará tomar banho num pet shop, o que vai gerar uma despesa de, no mínimo, R$ 90 por mês ou R$ 1.080 por ano.

Há também o valor reservado a hotéis de cães, considerando que os donos precisem viajar por, no mínimo, 15 dias por ano, o que custaria R$ 675. Em dez anos, seriam gastos R$ 6.750.

O gasto ainda pode ser maior se o bichinho apresentar algum problema de saúde:

— O cachorro do meu irmão, por exemplo, tem convulsão e problemas de coluna e respiratório. O gasto com ele é muito mais alto! Não é para deixar de ter um animal porque eles têm valor emocional muito grande, mas é necessário saber quanto custa — contou Gueratto.

Por esse motivo, o educador financeiro recomenda a contratação de um plano de saúde para o animal:

— Não tem mágica! Você pode tentar economizar com ração e pet shop, mas seu cachorro vai precisar comer, tomar banho e, eventualmente vai ficar doente. Se o dono não estiver prevenido, gastos com veterinário poderão gerar um rombo no orçamento.