Futebol

TJD-BA concede efeito suspensivo para atletas da dupla Ba-Vi

Jogadores terão que cumprir a punição na rodada do final de semana e estão liberados a partir da próxima quarta-feira (7)

Da Redação, Correio 24h (redacao@correio24horas.com.br)
- Atualizada em

O Tribunal de Justiça Desportiva do Futebol Baiano (TJD-BA) concedeu efeito suspensivo das apenas aplicadas aos jogadores de Bahia e Vitória durante o julgamento pelas confusões no clássico Ba-Vi disputado no dia 18 de fevereiro.

O efeito foi concedido pelo auditor Eduardo de Carvalho Mota Júnior na manhã deste sábado (3). Estão liberados para atuar a partir da 9ª rodada do Baianão, o zagueiro Kanu, o meia Yago e os atacantes Rhayner e Denilson, pelo lado do Vitória. Já no tricolor, Edson e Rodrigo Becão foram os beneficiados.

De acordo com o documento, os jogadores estão livres de cumprir as punições até que o recurso seja julgado no pleno do TJD-BA. A pauta está prevista para o próximo dia 13. O auditor concedeu efeito suspensivo também para a multa de R$ 100 mil imposta ao Vitória por suspender o jogo e causar prejuízo a terceiros.


Como o efeito suspensivo só será válido a partir de quarta-feira (7), quando será jogada a última rodada da fase de classificação do Baianão, os jogadores citados não foram relacionados para os jogos deste final de semana.

O meia Vinícius, do Bahia, não foi beneficiado com a medida, já que cumpre o segundo jogo de suspensão na partida deste domingo (4), contra a Juazeirense, no estádio Adauto Moraes, em Juazeiro.

Julgamento

No julgamento realizado nesta terça-feira (27), no Tribunal de Justiça Desportiva do Futebol da Bahia (TJD-BA), o zagueiro Kanu recebeu a punição mais rigorosa, dez jogos de suspensão por agressão física.

Também por agressão, os rubro-negros Denilson, Rhayner e Yago e os tricolores Edson e Rodrigo Becão foram punidos com oito jogos de suspensão.  O técnico Vagner Mancini acabou absolvido e o Esporte Clube Vitória, que corria risco de exclusão do Campeonato Baiano, terminou condenado, porém apenas a pagar multa de R$ 100 mil. 

Foram absolvidos ainda o zagueiro Bruno Bispo, cuja expulsão acarretou no fim antecipado da partida aos 34 minutos do 2º tempo, também foi absolvido pelo tribunal, o goleiro Fernando Miguel, o zagueiro Ramon, o atacante André Lima, o supervisor Mário Silva, todos do Vitória; e o zagueiro Lucas Fonseca, do Bahia.