Saúde

Tudo que você precisa saber sobre a dor de cabeça

Neurologista fala sobre sintomas e tratamentos das principais origens da doença

Vitor Seta, da Agência O Globo
- Atualizada em

É sexta-feira à noite, o expediente acabou e você está pronto para o happy hour. Só que um imprevisto coloca a diversão em risco: uma dor de cabeça progressiva que acaba virando um incômodo. Acredite, você não está sozinho. Segundo a Sociedade Brasileira de Cefaleia (SBCE), as dores de cabeça (ou cefaleias) são sintomas muito comuns aos seres humanos e responsáveis por cerca de 10% do total de consultas em Unidades Básicas de Saúde.

Ainda de acordo com a instituição, há uma estimativa de que cerca de 95% das pessoas enfrentam ou enfrentarão dores de cabeça em algum ponto da vida. O problema pode ser originado por mais de 200 condições clínicas diferentes, ou seja, há diferenças, por exemplo, entre a popularmente conhecida enxaqueca e as dores na cabeça derivadas de sinusite.


O neurologista Daniel Paes, titular da Academia Brasileira de Neurologia, explica que o tratamento de dores de cabeça relativas à sinusite, por exemplo, é direcionado aos problemas nos seios nasais. — Nesse caso, o tratamento da própria sinusite corrige a causa da cefaleia. Se a causa for aguda, é provável o uso de antibióticos — explica ele. Para ajudar a diferenciar a fonte do problema, o médico explica os tipos mais comuns de dores de cabeça, suas origens, sintomas e possíveis tratamentos. Confira:

Enxaqueca

Causas e sintomas: esse tipo de cefaleia afeta 20% das mulheres e 8% dos homens, emergindo com sintomas como crises de dor latejante que afetam, normalmente, apenas um lado da cabeça. As dores se associam a alterações visuais, náuseas, vômitos e intolerância a luzes e sons. As causas mais comuns são alimentação, uso de bebidas alcoólicas, privação de sono, tensão emocional, menstruação e medicamentos que dilatam vasos.


Tratamento: medicação para ação direta em crises ou prevenção para aqueles que apresentam incômodos frequentes, além de orientação comportamental direcionada aos fatores que desencadeiam as dores.

Cefaleia tipo-tensão

Causas e sintomas: menos pesada que a enxaqueca, é a variação mais comum de cefaleia e tem efeitos em toda a cabeça, com dores em ambos os lados e sem a presença de outros sintomas.

Tratamento: baseado em medicação e na identificação de aspectos que intensificam as dores como, por exemplo, contraturas musculares da região cervical e escapular. Nesse tipo de situação, é empregada, também, a medicina física.

Neuralgias do crânio e da face

Causas e sintomas: variação menos comum do que as duas primeiras, tem como causa anormalidades na transmissão dos nervos do crânio. As dores vêm em forma de "pontadas" e são intensas.

Tratamento: medicação e, em caso de insuficiência, pode ser necessária uma cirurgia.

Sinusite

Causas e sintomas: também entre as variações menos frequentes, a dor deriva da própria sinusite, ou seja, da obstrução dos seios paranasais, causando sensação de peso e fluxo alterado na cabeça.

Tratamento: nesse caso, o tratamento atacará a própria sinusite. Podem ser necessários antibióticos, anti-inflamatórios, medicações trópicas intranasais ou até mesmo cirurgia.