Dança

Unidas por uma só paixão: irmãs abrem academia de dança em Salvador

Studio Live 2 Dance é a nova escola de dança de Salvador, localizada no Costa Azul

Iasmin Sobral (iasmin.sobral@redebahia.com.br)

"Dançar é viver em movimento": essa é a filosofia de vida das irmãs Juliana e Catharina Paiva, 29 e 27 anos. As dançarinas inauguraram, na última segunda-feira (16), a nova escola de dança de Salvador, o studio Live 2 Dance.Amigos e familiares foram ao Costa Azul, na Praça Jorge Freire, prestigiar as irmãs, que já estão há anos no ramo e são dançarinas renomadas. "Elas são umas das duas melhores dançarinas da Bahia. Elas têm garra e estão com muitos amigos que vão fazer o Studio dar certo", disse o ex-BBB Diogo Pretto, dançarino do Fit Dance.




Amor na vida e na dança: Juliana e Catharina Paiva posam com seus companheiros,
Marcelo Bernardino e Luís Fernando Bastos 
(Foto: Iasmin Sobral/CORREIO)


Super simpáticas, Juliana e Catharina conversaram um pouco com o CORREIO e falaram da emoção de ver um sonho se realizando. "Vivemos a dança com intensidade e sempre amamos isso. Então porque não levar esse amor que a gente sente para todo mundo? E é pra todo mundo mesmo", disse Catharina. "Estamos muito confiantes e super felizes. É a relização de um sonho", disse Juliana. Uma das particularidades da escola é a existência de aulas para pessoas de todas as idades, desde crianças até idosos. O Live 2 Dance tem aulas de balé, dança funcional, jazz, tecido, hip hop, stiletto, street jazz, além de teatro e pole dance. Para os interessados em dança, a escola vai ter duas semanas de aulas abertas e gratuitas para quem quiser testar seu desempenho nas diversas modalidades. As aulas começam de fato, depois disso, no dia 30 de maio. Para mais informações, veja o site do Studio 2 Live. Dança no sangue
Juliana dança desde os 4 anos de idade. Começou com balé e depois, quando alcançou a idade necessário, se apaixonou também pelo jazz. Já dançou com Carla Cristina, na época da banda As Meninas, Filomena Bagaceira, Tomate, Margareth Menezes, Alinne Rosa e Netinho. Há 10 anos, a bailarina faz parte do grupo de dançarinos de Ivete Sangalo e, durante esse longo tempo, também participou de shows com outros grupos, faz parte do Fit Dance e também gravou um DVD com Psirico.




Site do Live 2 Dance mostra as diversas modalidades do studio: jazz, balé, stiletto, tecido, pole dance...
(Foto: Reprodução)


"Como sempre dançamos juntas, tínhamos esse sonho juntas. As nossas escolas de balé sempre foram nossa segunda casa. A nossa mãe deixava a gente lá o dia todo e ia trabalhar. Então fomos formadas com essa paixão diária pela dança", disse Juliana.  Já a irmã caçula começou a dançar também muito nova, aos 3 anos de idade. Com 16, Catharina já era uma bailarina profissional na companhia Interart. Ela também já dançou com a Filomena Bagaceira, Netinho, Psirico, Timbalada, Cheiro de Amor e ficou um bom tempo ao lado da Harmonia do Samba. Apoio da família
Os companheiros das bailarinas também embarcaram nesse sonho. O marido de Catharina, Luís Fernando Bastos, acredita que o sonho das irmãs é, também, o sonho dele. "É o nosso sonho. Somos nós quatro juntos nisso". Já o administrador Marcelo Bernardino, noivo de Juliana, acha que o medo da situação econômica do país não pode deixar o sonho de ninguém de lado. "Não tem como ter medo com essas duas. Elas são muito positivas, têm uma energia boa. Óbvio que isso aqui é um negócio e precisa de cuidado, mas estamos muito confiantes!", disse Marcelo. Os pais das duas também apoiaram o sonho. Eles, inclusive, ganharam uma homenagem na escola. As duas salas de aula foram nomeadas para eles: a maior se chama Júlio Cesar e a menor, Dora Paiva, em homenagem à mãe. "Sinto muito orgulho! Hoje, sou mais feliz por ver minhas filhas realizadas", disse a mãe coruja, que também foi responsável pela (impecável) decoração do evento. "Quando as meninas nasceram, quis logo colocar as duas no balé. Hoje, anos depois, vejo que eu ajudei a traçar esse caminho e a realizar esse sonho, quando, muitas vezes, outras pessoas não acreditavam que a dança pudesse ser um trabalho", acrescentou Dora.




Super simpáticas, Juliana e Catharina posam com amigos
(Foto: Iasmin Sobral/CORREIO)


Sonhar é arriscar
O dançarino, coreógrafo e ex-BBB Diogo Pretto, 29, foi prestigiar as irmãs, conhecidas de longas datas. Diogo também acredita que a dupla fez a escolha certa com a nova escola. "De tudo que já vi no Brasil, em todos esses anos de dança, percebi que temos que começar. Tudo tem seu tempo para fazer sucesso". "Fé na missão!", completou ele. Hélio Oliveira é o professor de street jazz do studio Live 2 Dance. Formado em balé clássico e com um longo e impressionante currículo, Hélio disse que ficou surpreso e grato com o convite. "Já conhecia elas, já tínhamos dançado juntos. Quando surgiu o convite eu fiquei louco! Topei de cara, sem nem saber da proposta, do salário... Mas eu já sabia que era algo de qualidade", contou. "A proposta é muito boa, quer agregar pessoas de todos os tipos e idades", acrescentou Hélio. Apoio dos amigos
A estudante de administração Adriana Macedo, 25, desejou sorte e reclamou da falta de espaços que tenham aula de sapateado em Salvador. "Conheço Cathy há cinco anos e fiquei super animada com a novidade. Estou procurando uma escola que tenha sapateado há um tempão, mas todas eram longe de minha casa e com horários que não batiam com minha agenda. Agora tem uma aqui, pertinho da minha casa", comemorou Adriana.




Integrantes da banda Duas Medidas foram prestigiar as irmãs Paiva
(Foto: Iasmin Sobral/CORREIO)


Mariana Reis, 23, é estudante de dança da Ufba e já fez espetáculos ao lado de Catharina. "Achei incrível a iniciativa delas. Elas estão certíssimas! As duas estão no ramo há anos e precisam compartilhar a experiência delas", disse ela. O publicitário e empresário Pedro Delgado, 24, foi ao evento acompanhando amigos e ressaltou a importância de um local como o Live 2 Dance. "Já fiz teatro durante muito tempo e técnicas de dança sempre nos ajudaram muito. Então vejo a inauguração de uma escola que une os dois tipos de arte é muito importante e benéfico para Salvador", analisou. A engenheira de produção Débora Mariano, 24, conhece as duas há um tempo e elogiou coragem delas. "Quando é sonho, fazemos de tudo para ele se tornar realidade. As duas têm um nome forte na dança baiana, então é um risco que vai valer a pena".

Correio24horas