Tecnologia

Veja dicas para bombar o seu Instagram mesmo com o fim dos likes

Empresas avaliam em quem vão investir por outras métricas

Raphaela Ribas, da Agência O Globo


Desde que o Instagram anunciou que não tem mais 'like' nas fotos , muitos usuários ficaram sem saber o que fazer. A partir de agora, o que vale é o conteúdo. Mas, como deixá-lo mais atraente e ganhar relevância na rede?

Não há fórmula exata, mas algumas dicas para melhorar o Instagram. Ser autêntico, escolher um nicho para falar de um assunto que se tenha domínio, mostrar o seu dia a dia com naturalidade, principalmente pelos stories, e oferecer conhecimento e são alguns dos segredos para se tornar um influenciador com muitos seguidores.

Foto: Divulgação

Os likes têm muito mais peso para os seguidores, pois, para as marcas que investem e patrocinam os influenciadores digitais, as métricas usadas para saber o seu poder de alcance e assertividade já eram outros.

A moeda de troca nas parcerias é sempre a hashtag e o alcance assertivo. Por isso, likes não bastam. Guilherme Ramos, gerente de marketing da Bodytech e que faz a escolha de quais influencers serão parceiros, conta que hoje há um sistema para mensurar não apenas as curtidas como também o engajamento, número de seguidores e acompanhar os últimos meses.

"Verificamos os locais com quem esta pessoa fala também e com quais outras marcas já tem parceria. Outro ponto é que não adianta ter um número altíssimo de seguidores se não for em engajamento orgânico", diz ele, citando o exemplo da DJ Camilla Brunetta .

"Ela tem uns 30 mil, mas fala diretamente com o público jovem que queremos, tem a ver com a nossa marca e viaja o Brasil todo. Isso é o que mais vale."

"Depende da marca, pois algumas me agregam também. Tem que ser bom para os dois lados sempre", acrescenta a dentista e influenciadora digital Renata Dias , que ganhou fama em um reality show, passando de 20 mil para quase 300 mil seguidores.

O fundador do Instituto Vendas Gustavo Malavota sugere também pôr sempre a localização nas postagens e um link na bio (página principal da conta). Outra orientação é investir nos stories, contando histórias, e postar o conteúdo aos poucos.


O Instituto de Estudos de Comportamentos e Consumos Diário de Campo corrobora esta percepção: 57,2% dos internautas declaram ver mais stories e 42,8% mais posts. Outro dado mostra que 55,2% das pessoas seguem pessoas que usam o humor em suas postagens.

Gustavo Mota , fundador da M8X e da We Do Logos, destaca ainda que quanto mais nichado for este público-alvo, melhor, pois o que vale nesse mundo virtual é a qualidade do alcance e não meramente a quantidade: — O conteúdo tem que ser relevante e a interação é a chave deste negócio.