Arte e Decoração

Veja o que priorizar e em que gastar mais para mobiliar um imóvel alugado

Arquitetos dão sugestões simples para deixar a casa acolhedora e com a sua cara

Raphaela Ribas, da Agência O Globo

Montar o lar doce lar em um imóvel alugado leva a um dilema: vale a pena comprar peças caras e de qualidade para uma residência provisória? Ou é melhor optar por algo mais simples e que quebre o galho?

Segundo as arquitetas Gabriela Eloy e Carolina Freitas, e Leandro Neves, quando se trata de sofá, de cama e de mesa, vale a pena o investimento de cada real. E não só pelo conforto, mas porque são peças-chaves que podem acompanhar o proprietário em futuras mudanças.

"Um sofá em couro marrom envelhecido é sempre uma peça curinga e cheia de bossa que, além de encaixar em qualquer decoração, traz aconchego ao espaço", sugere o arquiteto.

(Foto: Divulgação)

Em relação ao restante da mobília, eles afirmam que móveis modulares são boas saídas em vez dos embutidos. Mas ressaltam que, na hora de estruturar a casa, deve-se pensar no todo e não apenas em peças e cômodos isolados.

Segundo Neves, a relação do mercado de decoração com os armários embutidos vem mudando. Atualmente há uma tendência: toda grande empresa que trabalha com modulação ou marcenaria está oferecendo um produto que possa ser remodulado, de forma que não seja um equipamento fixo.

"É preciso olhar para o imóvel como um todo, considerando o estado das paredes, alvenaria e piso, assim como a funcionalidade e o local de cada peça. O grande segredo com relação à arquitetura de interiores está nas proporções. É isso que dá o resultado harmônico para um ambiente", afirma Neves.

O QUE VEM PRIMEIRO

Sobre a ordem de compra, ele explica que o ideal é sempre priorizar os itens mais funcionais e deixar os decorativos para mais tarde, ressaltando que há casos em que investir primeiro em um ambiente e somente depois no outro também pode ser uma estratégia interessante.

Neste caso, Gabriela e Carolina consideram fundamental ter a cozinha montada, com geladeira, fogão e armários para os utensílios; a sala com sofá, mesa e cadeiras; e o quarto, com uma cama confortável, criado-mudo e cortina.

"O primeiro investimento que recomendamos seria na sala de estar e jantar. Faça um planejamento para fazer uma boa marcenaria e comprar alguns itens, como um tapete bacana, uma mesa de jantar com pendente bonito, um aparador ou buffet, uma cortina de bom caimento, almofadas e outros objetos decorativos que contem a sua história. Esses detalhes fazem toda a diferença para alcançar um resultado final acolhedor e com a cara do dono", diz Gabriela.

Outro recurso interessante para dar um aspecto novo e mais personalizado ao imóvel é mudar a parede. Para fazer isso sem grandes obras, a pintura ou o papel de parede são perfeitos.

"A pintura demora um pouco mais, em torno de uma semana, e faz mais sujeira. O papel de parede é mais rápido, não suja, mas é mais caro. Tudo vai depender do tempo que você vai ter para se mudar", diz Carolina.

(Foto: Divulgação)

Uma sugestão é optar por uma cor mais neutra, como o cinza, e contrapor o ambiente com peças coloridas. A mistura deixa o espaço “aquecido”, trazendo a ideia de aconchego que espera-se de um lar.

Neves acrescenta que a iluminação com trilhos ou canos aparentes e o revestimento em placas cimentícias que imitam tijolinho — o material é aplicado diretamente sobre a parede, com ou sem rejunte — também são formas bastante práticas e simples de dar uma renovada no imóvel alugado.

"No caso do piso, por exemplo, um bom tapete para cobrir uma área que esteja mais desgastada é bem-vindo", diz Neves.

A arquiteta Leila Dionizios concorda com a sugestão de Neves e Gabriela sobre os móveis modulares e a pintura ou papel de parede. E acrescenta que também vale considerar o tempo de permanência no imóvel:

"Quanto maior o tempo estimado, mais investimento. É possível criar uma decoração muito bacana a partir de quadros, adornos e tapetes, ou seja, itens fáceis de se levar embora".

Segundo ela, além do sofá e da mesa, uma luminária pendente de design assinado e atemporal também é uma boa pedida.

OBRAS PODEM SER BOAS PARA DONO E INQUILINO

As mudanças na casa nova podem ser negociadas. O arquiteto Fernando Santos, da Santos Projetos, orienta que se evite grandes obras no imóvel alugado, como demolições, mudança de pisos, peças sanitárias e revestimento na parede (não é a pintura), pois o custo de recompor à condição original no momento da saída pode ser muito alto. Mas quem quiser mexer ou quem pegar um imóvel em mau estado pode conversar com o proprietário.

No caso de imóveis muito antigos e que já estejam demandando reformas, o locador e o locatário podem entrar em acordo sobre uma divisão de custos em que o locatário faça as reformas de itens estruturais (que são responsabilidade do locador), porém mais mais a seu próprio gosto.

Nesta situação, segundo ele, o imóvel estará mais valorizado no fim da locação do que estava no início. No caso de imóveis novos, vale combinar a feitura de armários nos quartos e cozinha e até a instalação de aparelhos de ar condicionado tipo split, cujos gastos alores serão abatidos no valor do aluguel.

"Para quem mora em imóvel alugado, é sempre conveniente ter mobiliário e utensílios que sejam compactos e fáceis de movimentar e empacotar. Nunca se sabe se o próximo imóvel em que irá morar será maior ou menor. Portanto, sempre tenha em mente que as coisas essenciais precisam caber na sua próxima casa".