Economia

Veja onde achar melhores preços e faça sua cesta junina com até R$ 100

Nas vésperas do São João, o valor do coco seco aumentou 50%, enquanto o milho está 33% mais caro em comparação com o mesmo período

Saulo Miguez e Renata Drews, do Correio 24h

Festa junina tem que ter a mesa farta, com direito a amendoim cozido, bolo de aipim, milho verde, canjica e demais quitutes da maior festa regional do Nordeste. O CORREIO foi até supermercados e feiras livres de Salvador e constatou que a cesta junina pode ter preço médio de R$ 97,90.

O milho e o coco seco, ingredientes da canjica, estão entre os produtos com maior aumento de preço no atacado
(Foto: Evandro Veiga/CORREIO)

O levantamento levou em consideração o preço médio encontrado pela reportagem dos seguintes produtos: milho (dez espigas), uma garrafa de licor, jenipapo (seis unidades), paçoca e pé de moleque (50 unidades, cada) e amendoim, coco seco, goma, carimã e aipim (um quilo de cada).

Na tradicional Feira de São Joaquim, a lata de 18 litros de amendoim sai por R$ 30. Já na Ceasa do Rio Vermelho, o produto pode ser comprado a partir de R$ 8 o quilo. Nos supermercados pesquisados, o preço variou de R$ 6,99 a R$ 9,99/kg.

A espiga de milho em São Joaquim variou de R$ 0,50 a R$ 1. Na feira do bairro da Boca do Rio, 12 espigas saíam a R$ 10 enquanto que nos supermercados, os preços variaram de R$ 0,65 a R$ 1,25.

Alta

De acordo com o Centro de Abastecimento da Bahia (Ceasa), o milho verde e o coco seco, principais ingredientes da canjica, estão entre os produtos que registraram o maior aumento de preço no atacado.

Neste ano, o amendoim está saindo 40% mais barato, segundo a Ceasa
(Foto: Evandro Veiga/CORREIO)

Nas vésperas do São João, o valor do coco seco aumentou 50%, enquanto o milho está 33% mais caro em comparação com o mesmo período do ano passado. Hoje, a média do cento do coco custa R$ 300 quando era vendido por R$ 200. Enquanto o cento do milho pulou de R$ 30 para R$ 40.

“A seca foi um dos fatores que reduziram a oferta do coco, o que acabou impactando na alta do preço do produto. Com relação ao milho, o aumento é uma reação do próprio mercado por conta da época junina”, explicou o superintendente da Ceasa, Eugênio Martins Burgos.

O comerciante Joseval Mendes Ferreira, da Feira de São Joaquim, está vendendo uma lata de 18 litros de amendoim por R$ 30, R$ 10 a menos do que no ano passado. “Tem muitos produtos e, com a crise, o público também está garimpando mais.”

Ainda na Feira de São Joaquim é possível comprar o pote de 800 gramas de amendoim por R$ 5. A feirante Vanisia Santos Rosa, conhecida como Juruna, ainda vende um potinho por R$ 4 e três por R$ 10. A mesma quantidade, na Boca do Rio, é encontrada ainda mais em conta. Na Barraca Abençoada, do vendedor Rogério Coelho, o pote custa R$ 3. A empresária Marivalda Silva Ribeiro aproveitou o preço e fechou negócio com Rogério. “Todo dia venho comprar um bocadinho para oferecer aos hóspedes na recepção”, disse ela, que é dona de hotel. 

* Colaborou Priscila Natividade