Futebol

Vitória e Bahia entram com recurso à decisão do TJD-BA

Tricolor pede que Pleno coloque o clube como terceiro interessado na denúncia contra o Vitória

Vitor Villar, do Correio 24 horas (vitor.villar@redebahia.com.br)

Vitória e Bahia ingressaram nesta sexta-feira (2) com recursos ao julgamento da última terça-feira (27), realizado no Tribunal de Justiça Desportiva do Futebol da Bahia (TJD-BA), e que acabou suspendendo jogadores da dupla baiana.

O recurso mais impactante é do Bahia, que solicita que o Pleno do TJD-BA reconsidere a decisão da primeira instância de não ter aceito o tricolor como terceiro interessado na denúncia contra o Vitória por ter forçado o final antecipado da partida.

TJD desconsiderou prova levada pelo Bahia (Vitor Villar / CORREIO)

O Bahia havia contratado uma perícia de leitura labial do que disse o técnico Vagner Mancini ao zagueiro Ramon pouco antes do fim da partida. Segundo o laudo, o treinador teria dito “... pede pro Bruno / ... pode / tomar o segundo amarelo...”.

Ao tentar entrar como terceiro interessado, o Esquadrão queria poder apresentar o laudo como prova contra o Vitória e interrogar a perita responsável por ele como testemunha de acusação. Como teve o pedido negado, o laudo não foi considerado, assim como a testemunha.

Jogadores

O Vitória entrou com recurso e pedido de efeito suspensivo a favor dos seus jogadores Kanu (condenado com 10 jogos de suspensão), Yago, Rhayner e Denílson (únidos com oito jogos).

Se aceito, o efeito suspensivo entrará em vigor depois que os atletas cumprirem a segunda partida de gancho, como manda a legislação desportiva. Todos cumprirão a segunda partida neste domingo (4), às 16h, contra o Jacobina, no Barradão.

O Bahia fez o mesmo em relação a Edson e Rodrigo Becão, que também pegaram oito partidas de gancho. O efeito suspensivo só entrará em vigor após a segunda partida, neste domingo, às 17h, contra a Juazeirense, fora de casa.

O tricolor também recorreu da pena do meia Vinícius, por descordar da punição dada a ele pela comemoração após o gol no Ba-Vi. Como ele pegou dois jogos de suspensão, não seria possível pedir efeito suspensivo – direito garantido aos atletas punidos por mais de três jogos.