Economia

Você sabe quanto gasta com transporte por mês? Aprenda a organizar as finanças

Segundo uma pesquisa, 3 em cada 4 brasileiros não têm a menor ideia do quanto gastam com o transporte

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)

Cansada (o) de sempre gastar mais do que recebe ou comprometer todo o salário com dívidas? Você precisa melhorar sua relação com as finanças com urgência. Nessas horas, planejar os trajetos e colocar na ponta do lápis todos os custos de deslocamento é essencial para garantir economia de tempo e dinheiro.

A pesquisa “Como o brasileiro entende a mobilidade urbana”, encomendada pela 99 e realizada pela IPSOS, apontou que 3 em cada 4 brasileiros não têm a menor ideia do quanto gastam com o transporte.

Para se ter uma ideia, segundo a IPSOS, os proprietários de automóveis declararam despesa mensal média de R$ 357 com o carro, porém, ao detalhar os custos, descobrem que gastam até  6x mais.

Foto: divulgação
Com base nesse resultado e com o intuito de te ajudar a fechar o ano no "azul", a empresa convidou a especialista em finanças, Nathalia Arcuri, para listar algumas dicas e ensinar a fazer um planejamento financeiro. Confira:

1. Tenha Metas


Defina metas e o tempo de execução de cada uma. Uma dica é seguir o método americano Smart:

S, de Específica: descreva o que exatamente você quer alcançar

M, de Mensurável: entenda qual é o resultado a ser obtido e como ele será mensurado ao longo do tempo

A, de Atingível: analise se é possível atingir essa meta considerando a sua realidade hoje.

R, de Relevante: precisa ser importante para você e estar ligada ao seu propósito de vida

T, de temporal: defina a data de execução dessa meta.

2. Olhe os extratos


Acompanhe mensalmente os gastos e ganhos para saber onde o seu dinheiro de fato está indo. Para facilitar, use a técnica das três canetas: uma cor para marcar o que é essencial, outra para o custo que pode ser reduzido e mais uma cor para o custo que pode ser eliminado.

3. Tenha uma reserva de emergência


Para ajudar em casos de imprevistos, a reserva deve ser equivalente a 6 meses do custo de vida, que é a média de gastos dos últimos 3 meses. Isso significa que se o custo de vida é de R$ 2.000,00, a reserva de emergência deverá ser de no mínimo R$ 12.000,00.

4. Pesquise antes de comprar

Antes de comprar qualquer coisa, pesquise bem, separe opções de orçamento do produto desejado, compare e use o valor mais barato para negociar o preço final. Pechinche!

5. Crie um limite de gastos para o transporte

Uma pessoa com carteira assinada e que ganha R$2.000 líquido não deveria gastar mais de R$100,00 (5% da renda), além do vale transporte. Já os autônomos podem ter uma margem mais generosa: no máximo 10% dos ganhos totais. O importante é anotar todos os custos, como financiamento do automóvel, combustível, seguro, IPVA, desvalorização do carro, manutenção, multas etc e ver o quanto pesa no seu bolso.



Mas preciso me deslocar. Como fazer de forma econômica?

1 - Avalie a possibilidade de reduzir o uso do carro ou mesmo vender e investir o dinheiro recuperado, caso o custo do automóvel esteja acima dos 5% ou 10%;

2 - Dê preferência à dobradinha transporte público + 99 para começar ou terminar sua jornada diária, você pode economizar tempo e dinheiro se pedir um carro em uma estação de metrô ou terminal de ônibus para chegar ao seu destino final.

3 - Se for sair à noite, coloque o custo do aplicativo na conta da balada. Uma dica para isso ser ainda mais econômico: divida a corrida com amigos.