Saúde

Xô, celulite: conheça cinco tratamentos que ajudam a eliminar este incômodo

Com a chegada do verão as preocupações tendem aumentar, diz pesquisa

Agência O Globo

Com a proximidade do verão, muitas mulheres passam a se preocupar ainda mais com o corpo. A celulite é um dos problemas mais temidos nessa época do ano. Apesar de ser bem comum — afeta 95% das mulheres após a puberdade, de acordo com a Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) —, muitas ainda não conseguem lidar bem com o aparecimento desses furinhos que deixam a pele com o aspecto de “casca de laranja”.

A celulite nada mais é do que o depósito de gorduras sob a pele.

— Ela surge ao longo do tempo por um processo de retenção hídrica, que piora a nutrição das células locais e prejudica a eliminação de toxinas. Assim, o tecido fica menos irrigado e mais endurecido. A celulite tem a característica de ser um processo progressivo, pois como há uma piora na irrigação do tecido, a tendência é que haja mais modificações na pele — explica a dermatologista Denise Steiner.

Engana-se quem pensa que a celulite atinge apenas mulheres com sobrepeso. Além de má alimentação e sedentarismo, condições hormonais, genéticas, ou externas, como uso de anticoncepcionais e tabagismo, também podem desencadear o incomodo.

— A celulite geralmente aparece nos quadris, coxas e nádegas, áreas onde a gordura está sob a influência do hormônio feminino estrógeno — afirma Ingrid Peres, fisioterapeuta dermato-funcional e gerente científica da Onodera estética.

De acordo com a SBD, a celulite atinge mulheres de todas as etnias, embora seja mais comum entre as de pele branca. Raramente é observada em homens, mas pode ocorrer quando houver algum desequilíbrio hormonal.

Adolescente deve controlar peso

Na época da puberdade, o corpo feminino é transformado pela ação de inúmeros hormônios. É nesse período que as mulheres, se estiverem acima do peso, correm mais risco de desenvolverem a celulite.

— É essencial que as mulheres mantenham o peso principalmente na adolescência — indica Denise.

A prevenção da celulite pode ser feita minimizando os fatores desencadeantes, o que não garante que os furinhos não vão aparecer. Existem vários tipos de tratamento para a celulite (veja ao lado). A recomendação é tratar o problema logo no começo para que o quadro não evolua.

— A celulite pode ser dividida em três graus: leve (grau 1), que é visível somente na contração e palpação do local; moderada (grau 2), em que já se podem ver “furinhos” sem a compressão e alguns nódulos; e grave (grau 3) quando já se vê nódulos em qualquer posição, esteja a pessoa deitada ou de pé — diz Ingrid.

Drenagem linfática

A massagem é feita sobre os vasos linfáticos e ajuda a evitar a retenção hídrica.

Subcisão

Utilizam-se agulhas especiais que decolam as traves fibrosas e melhora as depressões (furinhos) da pele.

Ultrassom focado

Ocorre uma emissão de energia profunda que estimula o colágeno e proporciona uma melhor oxigenação do tecido. 

Bioestimulação

São dadas injeções de substâncias como hidroxiapatita de cálcio e ácido polilático que preenchem o local e estimulam o colágeno. 

Shock Wave

A partir da emissão de ondas acústicas de intensidade elevada, o procedimento promove uma quebra dos triglicerídeos (gordura), aumenta a oxigenação local e melhora a circulação sanguínea na região.