E. C. Bahia

Após acusação de racismo, Bahia anuncia saída de Mano Menezes e afasta Ramírez

Após Gerson apontar atitude racista do jogador, treinador teria dito que reclamação do meia do Flamengo se tratava de "malandragem"

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)
- Atualizada em

O último jogo do Bahia contra o Flamengo, na noite do domingo (20), foi marcado por polêmicas. O rubro-negro Gerson acusa o meia-atacante do Bahia Índio Ramírez de racismo e fez duras críticas ao comportamento do técnico Mano Menezes durante o episódio. Após a derrota do time baiano por 4 a 3, os dois foram afastados e o caso será apurado.

A transmissão do Premiere registrou o momento em que Gerson reclama com Mano sobre a atitude de Ramírez, que segundo ele, disse: "Cala a boca, negro". O treinador então apontou que a reclamação do flamenguista seria uma "malandragem". "Me chamou de negro", disse Gerson. "Agora virou malandragem", respondeu o técnico. "Malandragem? Não. Você me respeita", respondeu o atleta.

Assista ao vídeo abaixo:

Que figura lamentável é o senhor Mano Menezes, além de péssimo treinador de futebol. Que suma o quanto antes do cenário esportivo e volte para ostracismo de onde nunca devia ter saído pic.twitter.com/aIh5D8Ogvk

— Rodrigo Rötzsch (@rodrigorotzsch) December 21, 2020


Gerson se pronunciou sobre o episódio após a partida. “Nunca sofri esse preconceito e nunca fui vítima nenhuma vez, mesmo sendo eliminado de Libertadores, Copa do Brasil. Quando tomamos o segundo gol, o Bruno Henrique ia chutar uma bola, o Ramírez reclamou e fui falar com ele, que disse: 'Cala a boca, negro'. Isso aí eu não aceito. E o Mano precisa aprender a respeitar. Venho aqui em nome de todos os negros que existem no Brasil ”, apontou.

O Bahia comunicou o afastamento de Ramírez e desligamento de Mano aos torcedores por meio das redes sociais. Em defesa, o agora ex-técnico do time declarou que "condena qualquer ato de racismo e reitera que a violência contra quem comete não é caminho para solucionar a questão".