E. C. Bahia

Aproveitamento de Joel Santana no comando do Bahia caiu para 40%

Técnico tem insistido com Jones no ataque e apostou em Reinaldo no lugar de Ricardinho. Escolhas geram dúvida

Miro Palma - Correio* (miro.palma@redebahia.com.br)
- Atualizada em
Apostas do técnico no domingo não deram certo
Por que, Joel? A torcida tricolor procura respostas e ultimamente os questionamentos apareceram com mais frequência. Após a derrota diante do Vasco, as perguntas giraram em torno das presenças de Reinaldo e Jones Carioca.

O primeiro substituiu Ricardinho, lesionado. Com Maranhão, Lulinha e Magno como alternativas, Joel Santana justificou a escolha controversa. "O jogador mais parecido com o Ricardinho para tentar encostar no Souza era Reinaldo. Ele é experiente e faz gols", afirmou.

Em 17 partidas com a camisa do Bahia, no entanto, Reinaldo balançou as redes duas vezes. O caso de Jones é mais intrigante. Titular da era Joel em sete jogos, o jogador não marcou gols e foi substituído em todas as partidas. Depois do confronto contra os vascaínos, o comandante mandou o recado.

"Você acha que a torcida gostou? Eu não gostei, imagine a torcida. Alguém tem que ser vaiado. Quando não sou eu, algum jogador tem que pagar também", bradou. Nessa temporada, Jones entrou em campo 30 vezes e fez somente quatro gols.

300 - Aliado a isso, uma estatística nada agradável. O Bahia não marca gols há 300 minutos, fora os acréscimos. Passou em branco contra Cruzeiro, Coritiba e Vasco. A última vez que acertou o alvo foi aos 15 minutos do segundo tempo da partida contra o Botafogo: empate por 2x2. Sem contar com a organização de Ricardinho e Carlos Alberto, Joel optou pelo esquema com três volantes, onde os laterais também participam. Em dez jogos, foram só dez gols...

DÁ PARA MELHORAR
O aproveitamento de Joel Santana no comando do Bahia é de 40%. Em dez partidas, foram três vitórias, três empates e quatro derrotas. O tricolor marcou dez gols e sofreu outros 11.

O ATAQUE TÁ DEVENDO
O Esquadrão possui o segundo pior ataque do campeonato, com 34 gols marcados em 31 jogos. O desempenho só é melhor que o do Atlético Paranaense, que balançou as redes 30 vezes.

OLHO NO FIGUEIRENSE
O Figueirense, rival do próximo domingo, às 16h, no Orlando Scarpelli, não perde há dez partidas na Série A. Foram quatro triunfos e seis empates. O Bahia não vence há quatro jogos.