E. C. Bahia

BaXVi: times terão que dar exemplo neste domingo (1º)

Brigas em campo têm sido frequentes nos últimos clássicos

Daniela Leone, do Correio 24h
Edson, Kanu, Feijão, Yago, Renê Júnior, Alan Costa, Rhayner, Lucas Fonseca, Caíque, Fernando Miguel, Denílson, Rodrigo Becão... Essa bem que poderia ser uma lista de artilheiros em Ba-Vis, mas, infelizmente, não é. Os jogadores citados protagonizaram cenas lamentáveis nos clássicos disputados do ano passado pra cá, quando Salvador passou a figurar entre as capitais com jogos de torcida única nos estádios.
Último Ba-Vi foi marcado por briga e fim antes da hora (Arisson Marinho/CORREIO)
O Ba-Vi das 16h deste domingo (1º), na Fonte Nova, o primeiro da final do Campeonato Baiano, mais uma vez será disputado diante de apenas uma torcida. Somente tricolores verão de perto o time do coração. O mesmo acontecerá no jogo de volta, no domingo seguinte (8), exclusivo para rubro-negros no Barradão.
A recomendação do promotor de Justiça do Consumidor Olímpio Campinho Júnior, acatada pela FBF, é motivada pelas brigas que têm acontecido desde 2017 entre as torcidas nas proximidades dos estádios, mas chama atenção o mau exemplo exibido pelos times dentro de campo.
A concessão feita no dia 18 de fevereiro deste ano, data do único Ba-Vi da fase classificatória do estadual, quando o clássico teve a presença das duas torcidas, não tem data para ser repetida. Na ocasião, uma briga entre torcedores foi registrada na Baixa dos Sapateiros, rubro-negros foram flagrados atirando pedras no ônibus de torcedores do Bahia no lado de fora do Barradão, e ainda torcedores tricolores depredaram sanitários e derrubaram parte do alambrado do estádio.
E o que estava acontecendo dentro de campo? Troca de socos diante de mais de 18 mil espectadores. Kanu, Edson, Yago, Rhayner, Rodrigo Becão e Denílson não estarão em campo hoje porque se envolveram na briga e foram punidos pelo Tribunal de Justiça Desportiva do Futebol da Bahia (TJD-BA). 
No ano passado, três dos sete Ba-Vis disputados registraram confusão dentro das quatro linhas, todos no mês de abril. O primeiro teve o retorno da torcida mista e muitos empurrões em campo. No segundo, tumulto até na porta dos vestiários. No terceiro, cenas fortes de briga entre os jogadores de Bahia e Vitória, além do técnico Argel Fucks.

Relembre, abaixo, os Ba-Vis realizados desde então:
9/4/2017
Bahia 1x2 Vitória (Campeonato Baiano)
Os jogadores se envolveram em confusão duas vezes no primeiro tempo: quando Gabriel Xavier foi derrubado por Allione e quando Renê Júnior sofreu falta de André Lima. Porém, a situação foi controlada pela arbitragem. O clássico teve torcida mista na Fonte Nova, algo que não acontecia desde o antigo estádio.
27/4/2017
Vitória 2x1 Bahia (Copa do Nordeste)
O Ba-Vi disputado no Barradão foi tenso. Os ânimos ficaram muito exaltados após a expulsão do atacante tricolor Gustavo. Até o volante Feijão, que estava no banco de reservas, se meteu. No intervalo e na porta dos vestiários, mais confusão. Devido a uma recomendação do Ministério Público, o jogo foi disputado com torcida única. Todos os outros de 2017 seriam assim.

30/4/2017
Bahia 2x0 Vitória (Copa do Nordeste)
Cenas lamentáveis de briga foram registradas na Fonte Nova após o apito final, entre jogadores e comissão técnica de Bahia e Vitória. O volante Edson e o técnico Argel Fucks protagonizaram a confusão, que envolveu também o goleiro rubro-negro Caíque e o volante tricolor Feijão.
Assessor de comunicação do Vitória aparta briga entre Feijão e Caíque em Ba-Vi no ano passado (Foto: Arisson Marinho/CORREIO)
3/5/2017
Bahia 1x1 Vitória (Campeonato Baiano)
O clássico não teve registro de brigas dentro das quatro linhas. O zagueiro Tiago abriu o placar para o Bahia e o lateral Armero marcou contra, empatando para o Vitória na Fonte Nova.
7/5/2017
Vitória 0x0 Bahia (Campeonato Baiano)
Não houve briga dentro de campo no Ba-Vi que deu a taça do estadual para o Leão. Dessa vez, a rede não balançou.
2/7/2017
Vitória 0x0 Bahia (Brasileirão)
O primeiro clássico do Campeonato Brasileiro do ano passado também não teve confusão, nem gol. 
22/10/2017
Bahia 2x1 Vitória (Brasileirão)
A turma do “deixa disso” evitou o confronto. No fim do jogo, o volante tricolor Renê Júnior estava inconformado e precisou ser contido pelos colegas. Ele reclamou com o árbitro que teria sido chamado de macaco pelo atacante rubro-negro Tréllez.
18/2/2018
Vitória 0x3 Bahia (Campeonato Baiano)
O Ministério Público cedeu e permitiu que o clássico tivesse a presença das duas torcidas, mas os jogadores deram mau exemplo e trocaram socos em campo após o tricolor Vinícius comemorar o gol diante da torcida do Vitória. Kanu, Yago, Denílson, Rhayner, Edson e Rodrigo Becão foram punidos pelo Tribunal de Justiça Desportiva do Futebol da Bahia (TJD-BA) porque se envolveram ativamente na confusão. O jogo estava 1x1, mas foi encerrado aos 34 minutos do segundo tempo porque cinco jogadores do Vitória haviam sido expulsos. Com isso, o placar oficial ficou 3x0 para o Bahia.