E. C. Bahia

Com amigdalite, Nino vira dúvida para duelo contra o Vasco

Além do lateral, Guto tem outros desfalques para montar o time que estreia na Copa do Brasil

Redação Correio 24 horas

O time do Bahia que encara o Vasco, nessa quarta-feira (9), às 21h45, na Fonte Nova, pelo jogo de ida das oitavas de final da Copa do Brasil, pode ter mudança em relação ao que perdeu do Sport por 2x0, pela Série A, no domingo (6). Recuperando-se de uma amigdalite, o lateral Nino Paraíba virou dúvida para o duelo. Sem ele, Guto Ferreira tem como opção para o setor o também lateral João Pedro. 

Titular absoluto, Nino pode ficar fora da estreia tricolor na Copa do Brasil (Felipe Oliveira/EC Bahia)

"Existem dúvidas, eu não vou revelar aqui, mas existe um jogador em especial com uma virose, um quadro preocupante, e pode desfalcar na partida", disse Guto Ferreira, sem afirmar que o atleta em questão é Nino.

Além dele, Guto tem desfalques na defesa e no ataque. Os zagueiros Tiago, Rodrigo Becão e Douglas Grolli seguem em tratamento de lesões, o que reduz o leque de opções a Lucas Fonseca e Everson. Já o atacante Júnior Brumado está em um período de testes com a seleção brasileira sub-20 e é ausência certa.

"O departamento médico até agora não conseguiu fazer mágica, está cada um dentro do quadro normal de recuperação, ninguém conseguiu antecipar voltas", explicou Guto. "A gente espera que possa colocar o melhor Bahia dentro do que a gente tem e que esse melhor Bahia faça uma grande partida, o que é possível porque acreditamos neles, e com o apoio do nosso torcedor vamos conseguir", continuou o treinador.    

Seca de gols

Para conseguir um bom resultado e ter vantagem no jogo de volta, marcado para o dia 16 de julho, no Rio de Janeiro, o tricolor terá que quebrar a sequência de três jogos sem fazer gol. Para ajudar na missão, Guto revela que tem usado alguns artifícios com os jogadores de frente do Esquadrão.

“É conversar, mostrar vídeos deles fazendo gols para que eles vejam o quanto são capazes. No ano passado o Bahia fez 50 gols no Campeonato Brasileiro. Desses, 25 foram marcados por jogadores que continuam no plantel. Então, eles são capazes sim, são qualificados. Dentro de campo, na medida do possível é trabalhar, fazer, repetir, corrigir e acreditar. Na hora em que sair um, tira o peso e com certeza virão outros”, afirmou.