E. C. Bahia

Com Guto e dupla de zaga, defesa tricolor foi destaque em 2017

Bahia teve a melhor defesa do Baiano e Nordeste sob o comando de Gordiola

Bruno Queiroz, Correio 24 horas (bruno.queiroz@redebahia.com.br)

Guto Ferreira deixou o Bahia para comandar o Internacional após três rodadas na Série A, exatamente no dia 30 de maio. Havia conquistado o acesso em 2016, o título da Copa do Nordeste em 2017 e sido vice-campeão baiano no mesmo ano. 

O ponto em comum nessas campanhas, foi a solidez do setor defensivo da equipe. Na atual temporada, tanto no estadual, quanto no Nordestão, a defesa tricolor foi a menos vazada com apenas cinco gols sofridos em cada competição. Outra boa notícia em relação a esses números além do retorno de Gordiola, é a permanência da dupla Tiago e Lucas Fonseca, que formaram a zaga titular no primeiro semestre e durante quase todo o ano. 

Tiago e Lucas são dois dos remanescentes do sistema defensivo tricolor (Felipe Oliveira / EC Bahia)

"O Guto sempre trabalhou muito a qusstão defensiva e isso fez com que a gente tivesse vários numeros bons no setor", afirmou o capitão Tiago. Lucas também citou a importância na manutenção do elenco como um todo para que o Bahia continue a evoluir. 

"É importante manter o elenco. Como a gente viu agora a equipe do Grêmio para quem acompanha, dos 14 que jogaram a final, nove são remanescente de três anos. É importante o Bahia continuar nessa evolução e tenho certeza que nos próximos anos o Bahia vai conquistar coisas grandes", disse em entrevista ao Programa do Esquadrão. 



Além de Lucas Fonseca e Tiago, permanecem no elenco os zagueiro Everson, Rodrigo Becão e Jackson. Este último, ainda se recuperando de uma lesão no joelho, nao estará à disposição no início da temporada. Considerando toda a defesa, o Bahia perdeu o goleiro Jean, o lateral Eduardo e pode perder Juninho Capixaba, em negociação com o Corinthians, o que representaria uma certa reformulação.  

No entanto, um dos jogadores que pode chegar do clube paulista é Moisés, que também atuou no Bahia em 2016 com Tiago, Lucas Fonseca e o técnico Guto Ferreira. O lateral-direito Nino Paraíba, está chegando para complementar o setor, que tem como principal carência a posição de goleiro. Por enquanto, apenas os jovens Deijair e Cassiano têm contrato com o clube. Quem pode chegar é Douglas, que fez grande Série A pelo Avaí e também está envolvido na negociação de Juninho Capixaba. O Corinthians cederia Douglas, Moisés e Marlone em troca do lateral tricolor.     

Pré-temporada 

Em 2018, o Bahia não vai sair do país como aconteceu este ano, quando disputou a Florida Cup, nos EUA.A representação está  marcada para dia 3 de janeiro e  o início do trabalho é de responsabilidade de Juninho, preparador físico que também retornou ao clube com Guto Ferreira. O fato de já conhecer parte do elenco, é um fator que facilita o trabalho,  segundo o próprio. 

"Ajuda porque embora a parte inicial seja um pouco parecida para todos, ali a partir da segunda semana já começa a diferenciar o trabalho, conhecendo a característica do jogador, você já sabe onde ele necessita mais. Os jogadores hoje em dia, eles mesmos já sabem onde sentem e a gente trabalha em cima disso e isso encurta caminho", explicou.