E. C. Bahia

Edigar Junio: 'ser campeão em cima do rival é sempre especial'

Mesmo com vantagem, atacante garante que tricolor vai ao Barradão para vencer

Bruno Queiroz, do Correio 24 horas (bruno.queiroz@redebahia.com.br)

Um clássico, por si só, tem ingredientes suficientes para tornar uma partida de futebol ainda mais especial. E quando se trata de uma decisão que lhe possibilita conquistar o título em cima do maior rival, na casa dele?

(Felipe Oliveira/EC Bahia)

No próximo domingo, às 16h, no Barradão, o torcedor tricolor, mesmo que de longe, já que não estará presente por conta da torcida única, poderá ter esses "desejos" realizados. Basta que o Bahia não perca para o Vitória. 

Dar a volta olímpica no santuário rubro-negro seria uma cena que se repetiria pela terceira vez apenas. As outras duas foram no título baiano de 1998 e na conquista da Copa do Nordeste de 2002. 

"Já ouvi por alto algumas pessoas  (sobre os títulos do tricolor no Barradão). Independente do lugar, ser campeão em cima do rival é sempre especial.  Se for na casa deles, melhor ainda, porque vai estar com a torcida toda deles", sonha Edigar Junio. 

Outra coincidência positiva para os tricolores, é que nas duas vezes o Bahia reverteu a vantagem que inicialmente era do Vitória. Em 98, o tricolor venceu o jogo de ida por 2x0 e perdeu a volta por 1x0. Em 2002, triunfo na Fonte Nova por 3x1 e depois empate por 2x2 no Barradão para ficar com o título. 

Jogar pelo regulamento, no entanto, não está nos planos de Edigar Junio, que garante que a equipe vai entrar em campo buscando um novo triunfo. 

"A gente tem que jogar para ganhar. A gente sabe que tem a vantagem, mas vamos buscar o triunfo. Todas as vezes que a gente jogou contra eles, sempre jogou para frente, buscando vencer e não vai ser diferente dessa vez. Vamos buscar o triunfo para sair campeões", afirmou confiante.