E. C. Bahia

Jogadores do Bahia dão valor ao empate com o Sport, mas reclamam da arbitragem

Tricolor teve um gol anulado no primeiro tempo e sofreu o empate em um escanteio que não existiu

Miro Palma do Correio 24h (miro.palma@redebahia.com.br)
- Atualizada em

Poderia ser melhor, mas o empate em 1x1 diante do Sport, na Ilha do Retiro, no primeiro jogo da final do Nordestão, foi comemorado pelos jogadores do Bahia. Um empate em 0x0 ou triunfo por qualquer placar dá o tricampeonato ao Esquadrão, dia 24, na Fonte Nova.

“Não deixa de ser um bom resultado, mas a gente veio pra vencer. Fizemos tudo o que precisávamos para vencer, só que infelizmente o juiz atrapalhou, anulou um gol legal nosso. Sempre erram contra o Bahia”, afirmou o volante Juninho, referindo-se ao gol marcado por Zé Rafael ainda no primeiro tempo. O juiz Antônio de Souza, do Piauí, entendeu que o volante Renê Júnior estava em posição de impedimento e teria atrapalhado o goleiro Magrão, do Sport.


Além disso, o empate do Sport surgiu de um escanteio mal marcado pelo árbitro, em lance que seria tiro de meta. “Final não é lugar de menino, de principiante. São dois times de Série A. Com todo respeito ao Piauí, não podia ser um árbitro de lá”, reclamou o presidente Marcelo Sant’Ana.

O volante Matheus Sales, que entrou na vaga de Régis, suspenso, festejou a oportunidade oferecida pelo treinador Guto Ferreira. “Acho que fiz uma boa partida. O resultado não foi ruim. Na próxima jogaremos em casa e teremos o apoio do nosso torcedor, com a Fonte Nova lotada”.

Antes de encarar o Sport na próxima quarta-feira, o Bahia jogará pela segunda rodada do Campeonato Brasileiro, domingo, às 11h, contra o Vasco, no Rio de Janeiro. O Esquadrão lidera com três pontos e o Vasco é lanterna, sem pontuar.