E. C. Bahia

No 1º turno, Bahia era 6º quando visitou o Grêmio; hoje é 16º

Tricolor baiano recebe o gaúcho às 19h deste domingo (24), na Fonte Nova

Daniela Leone, Redação Correio 24h (daniela.leone@redebahia.com.br)

O reencontro com o Grêmio, neste domingo (24), às 19h, na Fonte Nova, marca o recomeço de uma sequência amarga para o torcedor do Bahia nesta edição do Brasileirão. Passaram-se 103 dias desde que o tricolor foi derrotado por 1x0, em Porto Alegre, no dia 12 de junho. De lá pra cá, a situação do Esquadrão no campeonato mudou radicalmente: o time despencou da 6ª para a 16ª posição na tabela. Deixou o G6 e, a um ponto da zona de rebaixamento, incluiu a preocupação com o Z4 no vocabulário.

Antes de enfrentar a equipe gaúcha, o Bahia tinha status de sensação do campeonato, vinha de dois triunfos seguidos na Fonte Nova, contra Atlético Goianiense (3x0) e Cruzeiro (1x0), e somava nove pontos após cinco rodadas.

Só que o rendimento do time caiu muito. No primeiro turno, o Bahia não venceu nenhum dos próximos sete adversários que terá pela frente a partir deste domingo. Além de Grêmio, tropeçou na sequência diante de Coritiba (0x0), Palmeiras (2x4), Corinthians (0x3), Flamengo (0x1), Vitória (0x0) e Fluminense (1x1).

(Reprodução: Felipe Oliveira/ E.C. Bahia)

Foram 33 dias sem vencer, tempo suficiente para cair 10 posições na classificação. Depois do empate com o Fluminense, o Bahia já apareceu em 16º lugar, com 16 pontos - ou seja, tinha somado apenas sete pontos em sete jogos. Foi nesse período também que o tricolor fez a única visita à zona de rebaixamento, após a 10ª rodada, quando ocupou o 17º lugar, em consequência da derrota para o Flamengo, por 1x0, na Fonte Nova.

O jejum de triunfos só acabou contra a Ponte Preta (3x0), em Campinas-SP, no dia 12 de julho. A oscilação desde então não foi suficiente para o Bahia conseguir se recuperar daquela sequência amarga, e o time ocupa hoje o mesmo 16º lugar. Em constante luta para não entrar na zona de degola, o tricolor tem 27 pontos, à frente de São Paulo e Coritiba, que ocupam respectivamente 17ª e 18ª posições, no saldo de gols.

“Eu não penso em entrar na zona. Entrar lá é complicado, mesmo faltando bastante rodadas, pois o fator psicológico conta muito. Tem jogadores que sentem essa pressão. Esse pensamento deixo de lado, mesmo sabendo que nossa realidade hoje é fugir da zona. Tenho certeza que vamos conseguir os triunfos, nos fortalecer e nos distanciar dessa zona incômoda”, afirma o meia Vinícius, que será titular mais uma vez nesta 25ª rodada.

Um mês sem vencer

Já faz mais de um mês que o torcedor do Bahia não comemora um triunfo. O último foi no dia 20 de agosto, quando o tricolor bateu o Vasco por 3x0, na Fonte Nova. Depois, foram três jogos, com duas derrotas e um empate. “A gente tem que fazer valer o fator casa, pois precisamos dos três pontos e já estamos há algum tempo sem ganhar. Espero que a gente consiga esse triunfo”, prega Vinícius.

Diferentemente de quando enfrentou o Grêmio no primeiro turno, o Bahia já não tem uma pontuação que permita tropeços e, para não depender do resultado dos rivais, precisa escrever uma sequência diferente a partir de hoje. Triunfo pode levar o tricolor até o 12º lugar. Empate ou derrota pode significar Z4.


Provável escalação

O Bahia deve jogar com Jean; Eduardo, Tiago, Lucas Fonseca e Juninho Capixaba; Edson, Juninho, Zé Rafael, Vinícius e Mendoza; Rodrigão.