E. C. Bahia

Preto conta com a confiança dos jogadores para ser efetivado

Ainda como interino, o então treinador tem o apoio de boa parte do elenco

Bruno Queiroz, do Correio 24h

Até então, a diretoria do Bahia não deu nenhum grande indício de contratar um novo treinador e, enquanto isso, Preto Casagrande segue comandando o tricolor. Pode-se questionar a falta de experiência no cargo, o curto tempo como auxiliar (chegou ao clube em fevereiro de 2016), ou até mesmo o perfil para exercer a função, já que era muito temperamental nos tempos de atleta.
 
No entanto, é inegável que então técnico interino conta com o apoio se não de todos, mas de boa parte do elenco para ser efetivado. “Preto é um cara bacana, que tem o grupo na mão, trabalha há um bom tempo como auxiliar. Ele tem nossa confiança, e a gente a dele. Ambos têm conhecimento de cada um. Ele sabe o que cada atleta pode render. Ele está feliz com a oportunidade, a gente também. Não cabe a nós (decidir sobre  efetivação). A diretoria que resolve essa parte aí”, disse o meia Zé Rafael, que ainda opinou sobre a possibilidade de Preto assumir de fato a equipe.


“Por que não? Acredito que sim, mostrou isso. Nos jogos que teve oportunidade, mostrou capacidade. Espero que a gente possa ajudar a ele. Se a gente conseguir  os resultados, ele vai ter mais oportunidades”, acredita.

Desde que está no comando, Preto vem tentando resgatar um estilo de jogo mais parecido com o adotado por Guto Ferreira e, até mesmo, uma escalação semelhante. Com Jorginho, por exemplo, Régis não vinha sendo titular, o time procurava ficar mais com a bola e já não apresentava uma transição tão rápida quanto na época de Gordiola.

Para o jogo contra o Atlético Paranaense, domingo, às 19h, na Arena da Baixada, Preto vai fazer apenas duas mudanças em relação ao time que venceu o São Paulo na última rodada, por 2x1. Machucado, Armero deve dar lugar a Matheus Reis na lateral esquerda. Lucas Fonseca, suspenso, também é desfalque. Ele foi julgado pelo Pleno do STJD, que manteve a punição de dois jogos pela expulsão contra o Flamengo. Lucas já havia cumprido um e estava jogando sob efeito suspensivo. Eder é o favorito para entrar.

No coletivo tático, o time foi formado por Jean, Eduardo, Tiago, Lucas Fonseca e Matheus Reis; Edson, Renê Júnior e Régis; Zé Rafael, Mendoza e Rodrigão. O meia Vinícius aguarda resultado do exame após sentir um incômodo na coxa no treino de quarta (9) e não deve viajar.