E. C. Vitória

"Batedor oficial", Neto Baiano fala sobre gols de falta pelo Vitória

Pés do artilheiro ganharam tratamento especial no salão e estão prontinhos para encarar o Guarani, terça-feira

Daniela Leone (daniela.leone@redebahia.com.br)
- Atualizada em
Neto Baiano deu um grau na unha do pé

Bacia com água morna, esfoliante, creme hidratante... Tudo que os pés mais eficientes da temporada têm direito. Os instrumentos de trabalho do artilheiro do Brasil ganharam tratamento especial no sabadão de folga. “Tô fazendo a unha pra aperfeiçoar ainda mais a batida”, gargalhou Neto Baiano, 35 gols pelo Vitória no ano.


Luxo mais do que merecido. Nas duas últimas rodadas, a canhota do atacante trabalhou bem demais ao acertar duas cobranças de falta na medida. Na terça, garantiu o empate em 2x2 com o América-RN, no Barradão. Na sexta, abriu o placar no triunfo por 2x1 contra o Boa, em Varginha.


Nada de chutão forte. Estufou a rede com duas cobranças colocadas seguidas, pra queimar a língua de quem pensou que o primeiro acerto tinha sido por acaso. “Mas eu não tenho que mostrar nada pra ninguém, não. É mais pro meu ego mesmo, pra mim. Dá mais confiança e confiança é essencial no futebol”, disse.


O gol marcado na sexta foi o terceiro de falta do artilheiro com a camisa do Vitória. O primeiro foi em 2009, contra o Vasco, pela Copa do Brasil, também com Carpegiani no comando. Foi o técnico quem deu a liberdade a ele pra pegar a bola. “Eu já sou o batedor oficial com o Carpegiani. Ele falou comigo desde que chegou. Eu já treinava em outros clubes. Sempre treino na véspera dos jogos. Bato 20 faltas de um lado e 20 do outro”, conta.


Inspiração - Quando não está no gramado, Neto trata de observar alguns jogadores que tem como referência. “Juninho (Pernambucano), do Vasco, é brincadeira batendo falta, mas o Marcos Assunção, do Palmeiras, é o cara pra mim hoje em bola parada. Eu me espelho nessas pessoas, são grandes batedores de falta”.


Ir ao salão de beleza não era bem a programação dos sonhos para a folga de ontem, mas matar a saudade da esposa Pabla era prioridade e o atacante decidiu acompanhá-la. “Ela tá dando uma ajeitada nas unhas, tá fazendo pé e mão, não pode ficar largada, né? Aí, aproveitei pra fazer também”, divertiu-se. No final das contas, acabou sendo bom. Os pés do artilheiro ganharam tratamento especial e estão prontinhos para encarar o Guarani no jogo das 21h de terça, no Barradão. “Se aparecerem 10 faltas, quero fazer 10 gols. Se Deus quiser, vou fazer contra o Guarani”.