E. C. Vitória

Com entrada dos gringos, Vitória deixa o esquema da 1ª fase pra trás

Após o fim da partida no Ceará, Caio Júnior deu uma pincelada sobre o esquema tático proposto por esse 'novo' Vitória

Angelo Paz (angelo.paz@redebahia.com.br)
- Atualizada em

O Vitória no mata-mata do Nordestão é outro, diferente desde a escalação até o esquema de jogo. Caio Júnior deixou pra trás o receio de mexer no time logo de cara na hora decisiva e adaptou o Vitória para as estreias do argentino Escudero e do paraguaio Cáceres.


E o que se viu na vitória por 2x0 sobre o Ceará, em Fortaleza, foi um Leão com dificuldade no entrosamento, mas com qualidade  para aproveitar as raras chances de gol. E essa  novidade resultou em tranquilidade  para o jogo de volta das quartas de final da Copa do Nordeste, amanhã, às 16h, no Barradão. O rubro-negro se classifica até perdendo por um gol de diferença.


Ao fim da partida no Ceará, Caio Júnior deu uma pincelada sobre o esquema tático proposto por esse ‘novo’ Vitória. “A gente tem que estudar o adversário. Pelo regulamento, eu achei que essa era a melhor ideia (colocar o paraguaio no time titular). Com Cáceres, dei liberdade para Escudero e para  Renato Cajá”, explicou.


Pra entender melhor, apesar de ser um dos três meias de ligação, o paraguaio Cáceres fez a cobertura da marcação pela direita, função semelhante à de Luís Alberto pelo outro lado. Rodrigo Mancha agora é o único volante rompedor, de fato.


Já com a posse de bola, Cáceres dá suporte ofensivo pelo setor. Numa dessas, driblou dois dentro da área e cruzou para Renato Cajá, sem marcação, cutucar pra dentro. Enquanto isso, como o próprio treinador citou, Escudero tem liberdade total pela esquerda e sem a bola fica sempre como uma opção de contra-ataque, algo que o time soube utilizar bem no segundo gol. Um toque na bola,  Nicácio passou pra  Cajá, que serviu  Escudero. Rápido, o argentino driblou o zagueiro e guardou.


Apesar de ter deixado um saldo  eficaz, Caio Júnior revela que está em busca do encaixe ideal. “O futebol é resultado. Nós ganhamos e fica a impressão que foi tudo bem. Eu analisei e agora vamos ver o jogo. Ainda tem muita coisa pela frente”, revelou o técnico, que na primeira fase jogou no tradicional 4-4-2, com Marquinhos encostado em Nicácio.


Matéria original: Jornal Correio