E. C. Vitória

Com um a mais, Vitória vacila e perde para o Cruzeiro no Barradão

Jogo foi válido pela partida de ida da terceira fase da Copa do Brasil. A volta será dia 20 de julho, no Mineirão

Fernanda Varela (fernanda.varela@redebahia.com.br)
- Atualizada em


Decepção é a palavra que resume o sentimento do torcedor do Vitória ao deixar o Barradão, nesta quarta-feira (6). Pelo jogo de ida da terceira fase da Copa do Brasil, o Leão perdeu em casa para o Cruzeiro, por 2x1.


O jogo de volta entre Vitória e Cruzeiro será no dia 20, no Mineirão. O time celeste joga pelo empate, enquanto o Leão precisa vencer por dois gols de diferença. Resultados com um gol de diferença, a partir de 3x2, também classificam o rubro-negro. O próximo adversário, nas oitavas de final, será definido por sorteio.


É estranho dizer que um primeiro tempo foi truncado quando têm dois gols envolvidos. Mas foi o que aconteceu no Barradão. O Vitória entrou cheio de empolgação, mas levou um balde de água fria com sete minutos de jogo, quando Willian abriu o marcador.

Foto: Francisco Galvão/EC Vitória/Divulgação



Tudo é questão de ponto de vista. Um balde de água fria pode ter dois significados. Para alguns, é sinônimo de abatimento. Para o Vitória, foi como lavar o rosto para acordar. Sabem os sete minutos que o Cruzeiro precisou para mostrar seu futebol? O Leão usou os mesmos sete para reagir e mostrar que também estava ligado na partida.


Aos 14, Marinho, que atuou no Cruzeiro ano passado, tentou drible na área e a bola acabou batendo no braço de Allano. O árbitro marcou pênalti e Diego Renan, que pertence ao time mineiro, bateu com categoria e empatou. A “lei do ex”, como o nome diz, é lei e não tem como fugir. Sorte que não tinha nenhum ex-rubro-negro com a camisa rival. A emoção no primeiro tempo ficou por isso mesmo.


No segundo, o Vitória foi obrigado a abrir mão de jogar com três zagueiros. Victor Ramos, com luxação no ombro, foi substituído. Mas o Leão até que teve sorte. Com apenas 14 minutos da segunda etapa, Vander simulou uma falta e Allano, que já tinha amarelo, foi expulso, com 14 minutos.


Só que a história da água fria voltou com tudo. Ao invés de se abater, o Cruzeiro teve inteligência tática para se organizar em campo e, mesmo com um a menos, chegou ao segundo gol novamente com Willian, que fez 2x1.


Nervoso, o Vitória tentou pressionar, mas não teve tranquilidade e pontaria para chegar ao gol. No fim, foi o Leão quem deu um grande balde de água fria no seu torcedor.


Correio24horas