E. C. Vitória

FBF afirma que Victor Ramos está regular; Flamengo e Bahia rebatem

Federação Bahiana divulgou documentos e afirma que o defensor do Vitória tem situação legal no estadual

Fernanda Varela (Fernanda.varela@redebahia.com.br)

A possível escalação irregular de Victor Ramos no jogo de volta das quartas de final do Campeonato Baiano, quando o Vitória venceu o Flamengo de Guanambi por 3x0, ainda terá desdobramentos. Ontem, a Federação Bahiana de Futebol (FBF) se posicionou oficialmente diante do caso e apresentou documentos para comprovar a regularidade da situação do atleta. 

Em nota oficial, a FBF diz que “a inscrição do atleta Victor Ramos Ferreira no Campeonato Baiano de Futebol Profissional Série A - 2016, pelo Esporte Clube Vitória, se deu com base em contrato regularmente registrado em 16/3/2016 e em informação da CBF, posteriormente ratificada por e-mail, no sentido de que se tratou de transferência nacional, pois o ITC (Certificado de Transferência Internacional) já estava no Brasil”.

A FBF também divulgou em seu site oficial uma cópia do contrato de empréstimo de Victor Ramos, porém o documento não apresenta boa legibilidade e não é possível identificar os termos contratuais com clareza.




Victor Ramos tem passe ligado ao Monterrey do México e gerou polêmica por uma possível escalação irregular 

(Foto: Arisson Marinho/CORREIO)


A federação enviou ainda um documento à Confederação Brasileira de Futebol (CBF) no dia 16 de março, assinado pelo vice-presidente e diretor de registro e transferência da entidade, Ricardo Nonato Macedo de Lima, que questiona se a transação é nacional ou internacional. Onze dias depois, em 27 de março, um dia após o jogo contra o Flamengo, Ricardo recebeu uma resposta por e-mail do diretor de registro e transferência da CBF, Reynaldo Buzzoni.

No documento, Buzzoni informa que trata-se de uma transferência nacional, o que deixa a situação do zagueiro regular no estadual. “Ricardo, o jogador pertence ao Monterrey do México e estava emprestado ao Palmeiras. O clube do México não pediu o retorno dele e emprestou o jogador para o Vitória. Foi uma transferência nacional, pois o itc (em português, Certificado de Transferência Internacional) estava no Brasil”.




FBF divulga documento com resposta do diretor de registro e transferência da CBF, Reynaldo Buzzoni. Segundo a federação, e-mail comprova situação legal do zagueiro Victor Ramos (Foto: Reprodução)


Ação Judicial 
Thiago Dantas, diretor do Flamengo de Guanambi, afirmou que o clube já ingressou uma ação no Tribunal Superior de Justiça da Bahia (TJD-BA). “Já demos entrada e vamos esperar uma resposta. Se for negativa, vamos ao Supremo. Conversamos com vários advogados e todos dizem que há irregularidade. Não tenho dúvida que ele está irregular, mas não sei o que vai acontecer. Sabemos que existem muitas coisas por trás, muitos interesses”, disse. A FBF foi procurada para comentar a declaração, mas não foi encontrada.

O presidente do TJD-BA, Pedro Casali, explica o que deve acontecer agora. “Será enviado para a procuradoria. Existe um prazo de 48 horas. Vai analisar rápido e oferecer a denúncia. Na denúncia, vai ser distribuído para uma das turmas e fazer o julgamento ainda essa semana”. 

O CORREIO entrou em contato com o vice-presidente do Bahia, Pedro Henriques, que informou que o clube vai avaliar como se posicionar. “Teremos uma reunião amanhã (hoje) de manhã, para decidir as medidas cabíveis e nos pronunciarmos. Ah, qualquer coisa me liga (risos)”.

Já o gerente jurídico do tricolor, Vitor Ferraz, declarou que o clube reafirma a irregularidade do zagueiro. “Verifiquei a situação de registro no sistema, olhei o regulamento e conversei com diversos advogados da área do direito desportivo, na Bahia e em outras praças. É unânime a opinião da irregularidade do jogador em atuar no Baiano por ser transferência internacional. Até mesmo procuradores e auditores do STJD (Superior Tribunal de Justiça Desportiva) acreditam na irregularidade”, afirmou ao CORREIO.

Vitória responde 

O presidente Raimundo Viana também se posicionou e voltou a defender a situação de VR3. “O Vitória, ao assinar o contrato de empréstimo do Victor, levou à FBF no dia 14 de março. Evidentemente que esse contrato tem que ser submetido também à CBF. E a CBF considerou, no dia 18 de março, último dia da inscrição, uma transferência nacional e consequentemente lançou o nome do jogador no BID dando situação de jogo”, explicou. “Tudo o que acontece com o Vitória tem uma dimensão maior. Me dei conta que o Vitória é grande”, completou. [[saiba_mais

Correio24horas