E. C. Vitória

Hoje no jiu-jitsu, 'vilão' em 2011 revela: "maior frustração que tive no futebol foi no Vitória"

Zé Luis falhou em um lance na partida que custou o acesso do Vitória à primeira divisão na temporada 2011

Redação iBahia (esportes@portalibahia.com.br)
- Atualizada em

O ex-volante Zé Luis agora luta jiu-jitsu. Baiano de Salvador, ele pendurou as chuteiras em 2012 e começou a praticar a arte marical a convite de um amigo. Em entrevista ao portal Uol, ele se mostra feliz com o momento da sua vida, mas revela que o maior trauma da sua carreira foi vivido com a camisa do Vitória. Na Série B de 2011, ele cometeu uma falha na partida que custou o acesso ao time rubro-negro.

"A maior frustração que tive no futebol foi no Vitória. O time tava lutando para subir e enfrentou o São Caetano, precisava ganhar para subir. Estava ganhando até o fim do jogo, mas tomou um empate e outro gol aos 48 minutos do segundo tempo que foi falha minha. Fiquei uns 20 dias sem sair de casa e sempre que tinha um jogo importante eu sentia ansiedade. Ficava pensando 'hoje eu não posso errar'. Isso às vezes fica na minha cabeça até hoje", contou Zé Luis, admitindo que isso pesou na hora de decidir parar um ano depois.

Ex-jogador, mas não ex-atleta. Há um ano ele dedica cerca de três horas diárias para treinar jiu-jitsu e já deixou a faixa branca para trás. Em posse da faixa azul, ele tem nova meta. "Estou querendo pegar a roxa. Acho que em mais um ano eu consigo. Sou muito dedicado. Estou muito feliz com a minha evolução", disse Zé, que começou a treinar depois do chamado do amigo faixa preta Rodrigo Lemos. Perguntado se pensa em começar no MMA, ele brinca e diz que a esposa não deixa.

Apesar de lutar jiu-jitsu, o ex-jogador não se dedica completamente ao esporte. É mais para manter a forma em dia. A nova carreira não permite. Ele administra uma construtora da família que investe em casa de luxo em condomínios de Guarajuba, em Camaçari, no litoral norte baiano. "É muito diferente do que eu fazia, mas é muito prazeroso e eu me preparei para isso. Minha irmã engenheira me auxilia e é uma vida diferente. Eu trabalho com relacionamento com os clientes, tenho a responsabilidades dos pagamentos, vejo se tudo está ok, se está faltando alguma coisa", explicou ao Uol.

Após jogar no Vitória, Zé Luís, atuou no Itumbiara-GO e no Paraná, onde encerrou a carreira, aos 34 anos. Até recebeu um convite para continuar no futebol como dirigente, mas recusou para ficar mais perto da família na Bahia. O auge da carreira do ex-jogador aconteceu no São Paulo, quando ele foi bicampeão brasileiro, em 2007 e 2008.