E. C. Vitória

Jogando pouco, renda do Leão é maior que 2015; situação é oposta no Bahia

Com apenas quatro jogos em casa, Vitória teve uma renda líquida superior, se comparado com o ano passado

Redação Correio 24h

Jogar muito em casa não significa necessariamente dinheiro em caixa. Ter a maior torcida do Nordeste e atuar na Arena Fonte Nova, tampouco. A dupla Ba-Vi vive um dilema para conciliar o fator mandante com a renda.  No lado rubro-negro, 2016 tem sido um paradoxo na vida do Vitória. Na temporada, foram apenas quatro jogos em casa. Pouco para o torcedor que acompanha o clube no estádio, mas nem tanto para os cofres do Leão. Os quatro jogos realizados no Barradão deram mais renda que as dez partidas de 2015, no mesmo período.

Em 2016, o leão fez apenas quatro jogos no Barradão 
(Foto: Mauro Akin Nassor/CORREIO)

Enquanto os jogos contra Jacuipense, Jacobina, Feirense e Flamengo de Guanambi renderam R$ 102.045,65 líquidos ao clube este ano, em 2015 o Vitória faturou R$ 34.326,42 com dez partidas no Barradão até 14 de abril daquela temporada. Vale lembrar que, ao contrário deste ano, o Vitória disputou a edição passada da Copa do Nordeste. Ainda teve um Ba-Vi no Barradão em 2015. Foi o que salvou as contas. Mesmo assim, os números atuais estão longe do ideal. O valor da renda total de 2016 paga um pouco mais da metade do salário de Kieza.O crescimento da renda também é o reflexo do aumento do ingresso este ano, com o acréscimo de R$ 10, comparado com o primeiro semestre de 2015.No caso do Bahia, uma campanha invejável no ano não significa renda gorda na Arena Fonte Nova. Invicto no Nordestão e a busca do tri estadual parecem não contar muito. Em oito confrontos na casa tricolor, em quatro jogos a renda líquida foi negativa. O faturamento líquido, somado, foi de R$ 507.457,66. Ano passado, no mesmo período, o faturamento foi de R$ 852.621,06.

Este ano, o Bahia teve uma renda líquida de R$ 507.457,00 na Fonte Nova 
(Foto: Beto Jr)

A situação se complica para o lado baiano quando a comparação vem de Pernambuco. Também na Copa do Nordeste, o Sport fez um jogo a mais que o Bahia como mandante em 2016. Porém, a renda é quase o dobro: R$ 1.018,102 milhão.Vale lembrar que lá, o Sport já enfrentou Náutico e Santa Cruz dentro de casa, o que ajudou na grana diante de sua torcida. Neste caso, a dupla Ba-Vi mostra que, no quesito clássico, o confronto baiano rende mais. No último Ba-Vi da Fonte Nova, o borderô acusou R$ 434.207,40 líquidos, pouco menos de R$ 33 mil na renda somada dos dois clássicos que o Sport sediou.

Correio24horas