E. C. Vitória

Leitura labial será usada contra Vagner Mancini, diz procurador

Hermes Hilarião explica denúncias e diz estar sendo ameaçado

Vitor Villar, do Correio 24 horas (vitor.villar@redebahia.com.br)

O julgamento no Tribunal de Justiça Desportiva do Futebol da Bahia (TJD-BA), marcado para a próxima terça-feira (27), terá 15 réus. Um deles é o técnico Vagner Mancini, denunciado pela procuradoria por "ferir a ética disciplinar e suspender" o Ba-Vi do último domingo (18), no Barradão.

(Foto: Reprodução / PFC)

Responsável pela denúncia, o procurador Hermes Hilarião diz que vai contar com a leitura labial elaborada pelo programa Globo Esporte, da TV Bahia, como prova contra o técnico.

Hilarião refere-se à leitura labial realizada pelo intérprete de libras Carlos Cristian, também proprietário de duas escolas em Belo Horizonte. Segundo ele, em entrevista ao Globo Esporte, Mancini disse ao zagueiro Ramon: “fala pro Bruno tomar segundo amarelo”.

Ameaçado

Sorteado pela procuradoria do TJD-BA, Hilarião diz que vem sendo ameaçado por torcedores do Vitória. “Venho recebendo várias mensagens de ameaça no WhatsApp, tentando me constranger e me dizendo para ter cuidado com a minha segurança e a da minha família”.

“Felizmente, tenho como provar tudo. Já recebi ligações, inclusive, me ameaçando para que de algum modo eu recue na denúncia. Mas como procurador, tenho que fazer o meu trabalho da maneira correta e cumprir com o meu papel. Não vou deixar me abalar”, completou.

Confira a explicação do procurador Hermes Hilarião sobre outras denúncias:

Contra o Vitória

Para pedir a exclusão do Vitória do Campeonato Baiano e o rebaixamento da equipe à segunda divisão estadual, o procurador afirma ter levado em conta o prejuízo desportivo contra o Fluminense de Feira e o Jequié. Essa é uma condição descrita no Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD), em seu artigo 205.

“Foi uma análise pelo fato desta primeira fase do estadual ser disputada em pontos corridos. E se você for verificar, esses times não conseguirão mais alcançar o Bahia por forças próprias. Ou seja, houve um prejuízo direto aos dois clubes, e por isso a denúncia”, explica.

Com o triunfo decretrado pela Federação Bahiana de Futebol (FBF), o Bahia foi a 11 pontos, deixando o Flu de Feira e o Jequié para trás, ambos com dez.

André Lima e Mário Silva

Contra o atacante André Lima e o supervisor Mário Silva, ambos denunciados no mesmo artigo que Mancini, de ter ferido a ética disciplinar, o procurador diz que conta como prova com o depoimento de testemunhas intimadas a comparecer ao julgamento.

Nada contra o Barradão

O procurador explicou ainda por que optou por não denunciar o Vitória pela invasão de campo de dois torcedores, como foi relatado pelo árbitro Jailson Macedo Freitas na súmula da partida.

“Entendi por não denunciar porque, como a súmula diz, os policiais contiveram os invasores de imediato. Eles foram identificados e inclusive foi realizado o registro da ocorrência contra essas pessoas. Como houve esse procedimento, o clube não pode ser punido”.

Erasmo Damiani e Diego Cerri

Citados na súmula de Jailson Macedo Freitas, os diretores de futebol de Vitória e Bahia também ficaram de fora das denúncias do procurador. O árbitro relatou ter sido interpelado por eles no intervalo e após a partida.

“O árbitro não é uma pessoa incomunicável. Falar isso ‘Jailson, o gol do Vitória foi mão claramente’ (dito por Cerri, do Bahia) não está ofendendo ou acusando o árbitro de nada. Já o do Vitória (Damiani) disse ‘você está de brincadeira, aceitou a pressão do Bahia’. Também não ofende e não acusa de nada. Faz parte do futebol”, considerou Hilarião.