E. C. Vitória

Mesmo em minoria, foram os rubro-negros que cantaram no fim; veja memes

Torcida do Vitória fez a festa na Arena Fonte Nova em mais um BaVi vencido pelo Leão

Bruno Queiroz (bruno.queiroz@redebahia.com.br)

A torcida do Vitória não perdeu tempo e já embalou o primeiro hit do Ba-Vi em 2016. O sucesso do tricolor Bell Marques ganhou uma nova versão na boca dos rubro-negros. “Ôôô mainha, o meu Leão gosta de comer sardinha, mainha”, entoou a torcida na Fonte Nova, cada vez mais vermelha e preta. Agora, já são 11 Ba-Vis no novo estádio enquanto Arena. Depois da reinauguração, foram seis triunfos do Vitória contra três do Bahia e apenas dois empates. Aliás, a última vez que o Leão foi derrotado pelo rival na Fonte foi no primeiro jogo da final do Baiano de 2014, coincidentemente, o último Ba-Vi vencido pelo tricolor.




Torcida do Vitória faz a festa dentro da Fonte Nova mais uma vez (Foto: Arisson Marinho/Correio)



Tricolores ficam revoltados com mais uma derrota para o rubro-negro
A festa durou do Bahia até os 20 segundos do segundo tempo. Antes da bola rolar, o ônibus que conduzia a delegação tricolor mudou até o roteiro para passar pela frente do Dique antes de subir a ladeira da Fonte das Pedras. 

A torcida foi ao delírio. A confiança era alta, afinal, o time seguia com os 100% de aproveitamento no Campeonato Baiano e também na Copa do Nordeste. No primeiro tempo, o goleiro Caíque impediu o grito de gol dos tricolores com duas grandes defesas. O quadro se inverteu quando Hayner furou e Vander abriu o placar. Os gritos de incentivo ficaram de lado e apareceu  o tradicional: “Ô ô ô, queremos jogador!”. 

O presidente do clube, Marcelo Sant’Ana, também não foi perdoado com xingamentos. Enquanto mandatário, são quatro Ba-Vis e nem um triunfo. Deu até para ressuscitar, mesmo que de forma tímida, um: “Ah, é Biancucchi!”, gritado por uma pequena parte da torcida, ainda saudosa com a ausência do argentino, afastado do elenco principal desde o início do ano.  




Torcedores tricolores demonstram a insatisfação com o time dentro de campo. Time escuta vaias e presidente Marcelo Sant’Ana protestos (Foto: Mauro Akin Nassor/Correio)


Apesar da torcida tricolor ter sido maioria no estádio, nos minutos finais só se ouvia o “olé” dos rubro-negros. A falta de reação do time em campo, contrastava com a revolta na arquibancada. 

Onde fica localizada a torcida organizada Bamor, uma faixa chamou a atenção com os dizeres: “Somos contra o futebol moderno”. A crítica parecia ser feita ao modelo das novas arenas brasileiras, com preços de ingressos e produtos um pouco mais elevados. 




Foto: Reprodução 





Foto: Reprodução 





Foto: Reprodução 





Foto: Reprodução 





Foto: Reprodução 





Foto: Reprodução 


Correio24horas