E. C. Vitória

Neilton brilha, Leão vence Bragantino e avança na Copa do Brasil

Camisa 10 do Leão fez os três gols rubro-negros do jogo

Fernanda Varela fernanda.varela@redebahia.com.br

Teve emoção, lambança, noite do menino Nei e muita, muita festa. Nesta quinta-feira (15), o Vitória venceu o Bragantino por 3x0 e garantiu vaga na quarta fase da Copa do Brasil. O próximo adversário será definido através de sorteio. Com a classificação, o rubro-negro recebeu premiação de R$ 1,8 milhão - o time já tinha recebido R$ 3,23 milhões pelas fases anteriores.

Sabe aquela brincadeira da época de guri, cheia de correria e que a gente gritava “um, dois, três, salve eu!”, no fim? Foi exatamente o que aconteceu no Barradão. Neilton foi lá, fez uma, duas, três vezes e manteve vivo o sonho do rubro-negro na Copa do Brasil.

(Maurícia da Matta/EC Vitória)

Foi aos 20 que o torcedor que estava no Barradão foi presenteado com uma explosão de emoções. Sem conseguir chegar com facilidade no gol de Alex Alves, o Leão aproveitou a primeira chance que teve. E olha que teve uma “Lei do Ex” um pouco fora do convencional nesse lance. O zagueiro Guilherme Mattis, que teve passagem pela Toca do Leão em 2015 e 2016, fez uma lambança inacreditável ao rolar a bola para trás em uma cobrança de falta, para o goleiro alvinegro. Esperto, Neilton se antecipou, chegou na bola antes de Alex Alves, driblou e mandou no fundo do gol: 1x0.

Foi o único gol da primeira etapa e gerou desabafos no intervalo. Tranquilão, Neilton explicou o lance. “Ele (Mattis) chamou o goleiro para bater. A bola estava parada e ele rolou. Se ele rolou, cobrou a falta. Se deixasse parada, tudo bem, mas não foi o caso. Paciência. Fico feliz com o erro deles”, admitiu o camisa 10.

Já Guilherme Mattis demonstrou toda a sua indignação. “Se no tiro de meta e impedimento precisa do apito do juiz para cobrar, porque na falta não? Claro que precisa. Eu nunca quis fazer isso aqui, eu não sou displicente. Aliás, eu não tenho nem qualidade para fazer isso, rolar para trás. O juiz nem viu o gol, só correu para o meio porque os bandeiras correram. Não é possível. Tenho 15 anos jogando futebol, não sou juvenil, não sou criança”, bradou.

Dia de mitar

De todas as regras do futebol, tem uma que ninguém pode mudar. Quando é dia de mitar, não adianta fazer nada. O cara vai lá e broca. E era o ida de Neilton.

No segundo tempo, o torcedor do Vitória travou quando viu o Bragantino esboçar reação, mas logo relaxou e assistiu ao show de Neilton de camarote. Aos 18, o loirinho aproveitou bate-rebate na pequena área, levantou rapidamente e mandou no fundo do gol para fazer 2x0 e dar a classificação ao Leão.

Com a vaga garantida, deu até para fazer uma graça. Dez minutos depois, ele voltou lá e meteu mais uma bola no fundo do gol. Neilton tabelou, tocou pra Luan e entrou na área. Denilson tentou o chute, Mattis salvou e, na volta, ele estava lá. Que mito!

Na reta final, aos 34 minutos, o Bragantino ainda teve o atacante Miguel expulso.

O próximo jogo do Vitória será domingo (18), pela semifinal do Campeonato Baiano, contra o Bahia de Feira, às 16h, no estádio Joia da Princesa.