E. C. Vitória

Para encaminhar o acesso, Vitória quer ganhar e tirar o Náutico da briga

O treinador achou melhor não mexer no time que está invicto há nove jogos.

Ivan Dias Marques (ivan.marques@redebahia.com.br)
Voltar a vencer, chegar a 60 pontos, recuperar o segundo lugar e colocar um pé na Série A. Tudo isso está em jogo para o Vitória diante do Náutico, hoje, às 16h10, no Barradão. Triunfo rubro-negro também agrada o Bahia, pois o time pernambucano, com 49 pontos, luta para encostar no tricolor, que fecha o G-4 com 54.

Após o empate contra o CRB no sábado passado, o técnico Vagner Mancini falou em “oxigenar” o time, mas isso não significou mudanças e sim uma “sacudida” nos jogadores, com mais cobrança para a equipe voltar a render bem.

Elton já jogou no Náutico e hoje tema missão de ajudar o Vitória a voltar a vencer e encaminhar o acesso
(Foto: Mauro Akin Nassor/CORREIO)

O treinador achou melhor não mexer no time que está invicto há nove jogos. E após uma série de testes durante a semana, vai usar a equipe considerada até aqui como ideal, com o retorno de Diego Renan e Pedro Ken, que voltam de suspensão. Os garotos Yan e Nickson, o volante José Welison e o atacante Robert, observados nos últimos dias, ficarão como opção no banco de reservas. “Muita gente esperava que eu mexesse demasiadamente, mas não é o momento disso. É hora de uma equipe coesa, uma equipe que saiba aquilo que esta faltando ainda”, explicou Mancini, que quer um time com mais movimentação na frente e que possa confundir a marcação adversária. O capitão Pedro Ken ficou dois dias ausente dos treinos no início da semana por causa da morte do pai, mas, para Mancini, o meia conseguiu lidar bem com a situação e está focado novamente  em ajudar o Leão. “Espero que ele possa fazer um grande jogo. Sei que o torcedor vai entender o momento dele, de querer jogar e dar o máximo”. Perigoso
Em relação ao Náutico, o treinador demonstrou preocupação com a marcação alta do adversário e com o momento vivido pelos pernambucanos após a derrota por 4x1 em casa para o Botafogo no sábado passado. “O Náutico joga sua sorte no campeonato. Ele sabe que, se perder do Vitória, praticamente dá adeus a um possível sonho de acesso. Ao mesmo tempo, isso torna o jogo perigoso porque nós podemos enfrentar um time que, mesmo que tome um gol, vai se lançar no ataque”, analisa o técnico rubro-negro. Em jogo de vida ou morte, Náutico terá improviso nas laterais
O Náutico precisa vencer o Vitória de qualquer jeito para não se distanciar do G-4 e seguir vivo na luta pelo acesso. No duelo de hoje, o alvirrubro conta com o atacante Bergson, que volta de suspensão. Por outro lado, as laterais terão que ser improvisadas, com Rafael Pereira na direita e Fillipe Soutto na esquerda. Com 49 pontos, o Náutico vem de derrota por 4x1 para o Botafogo.

Correio24horas