E. C. Vitória

Paulo Carneiro lidera nova chapa para eleições do Vitória

Juntamente com Walter Seijo, 'Vitória Gigante' terá ex-presidente como diretor de futebol caso eleita

Moysés Suzart (moyses.suzart@redebahia.com.br)
Uma nova chapa nasce para a eleição do Vitória, em dezembro, com o peso do nome Paulo Carneiro entre seus idealizadores. Desde o final de 2005 afastado do clube, o ex-presidente resolveu entrar na briga pela administração do Leão no próximo triênio 2017-2019. A chapa “Vitória Gigante” iniciou sua campanha nesta quinta-feira (10), buscando adesão dos sócios que pretendam compor a chapa para o Conselho Deliberativo. Expulso do quadro de conselheiros na gestão de Alexi Portela Júnior, Paulo Carneiro não pode concorrer aos cargos de presidente do Conselho Diretor nem do Deliberativo. Nem precisa. Com a experiência de ter sido presidente do Esporte Clube Vitória entre 1991 e 2000, além da gestão do Vitória S/A até 2005, Paulo Carneiro é o nome da chapa para ser o executivo de futebol do clube caso a coligação seja eleita. Ele ocupou este cargo recentemente, no Atlético Paranaense, de onde saiu em agosto. Os integrantes da chapa para concorrer ao Conselho Deliberativo não estão definidos, pois a campanha ainda busca o número de 270 sócios necessários. O Vitória Gigante solicitou aos associados que mandem seus dados para o e-mail da chapa.
Paulo Carneiro esteve no comando do Vitória de 1991 até 2005 
(Foto: Robson Mendes/Arquivo Correio)
Pelo seu perfil no Facebook, Paulo Carneiro já iniciou a campanha. Documentos, notícias e feitos foram postados pelo ex-gestor, como a construção do Barradão, os títulos sob sua gestão, além dos astros que já pisaram no clube com ele, como o tetracampeão Bebeto. Porém, Carneiro não vai conceder entrevista até o lançamento oficial dos candidatos, previsto para o dia 15. A chapa nasceu após o grupo Vitória Século 21, liderado pelo ex-vice-presidente Walter Seijo, não ter o apoio da chapa Vitória do Torcedor. “Eles não me aceitaram na chapa. Não quiseram o meu apoio, nem de Paulo (Carneiro). Resolvemos concorrer também. Precisamos devolver o Vitória ao grupo dos grandes. Nossa campanha ainda é sigilosa, principalmente nos nomes. Mas estamos à frente da campanha. Onde estou, Paulo estará. Onde Paulo estiver, também estarei. Temos uma equipe trabalhando nisto. Iniciamos agora a campanha e ainda não temos o número de sócios necessários, mas posso te dizer que já recebemos muitas adesões”, explicou Walter Seijo, que foi vice-presidente e diretor financeiro na era Carneiro. Por motivos pessoais, Seijo garante que não pretende ter nenhum cargo no Vitória. “Faço isso por amor ao clube, mas não quero nenhum cargo lá. Carneiro cuidará do futebol, mas eu quero apenas mudar estas pessoas que estão no clube. O grupo é nosso e vamos mostrar a verdadeira oposição”, completa Seijo. Paulo Carneiro, apesar de ter o título de conselheiro nato, está com seu direito suspenso. Porém, há 10 meses ele voltou a ser sócio do Leão. Ele jura que não aderiu e que é um torcedor anônimo que paga sua adesão. Paulo Carneiro saiu do Vitória após o rebaixamento para a Série C, em 2005. Ele chegou a trabalhar como gestor do Bahia, na temporada de 2009.Com isso, o cenário eleitoral rubro-negro tem, até o momento, quatro chapas. As outras são a “Vitória de Todos Nós”, que tem o ex-diretor de marketing Ricardo David como pré-candidato à presidência e o atual presidente do conselho fiscal, Cristóvão Rios, para o Conselho Deliberativo, com Nilton Almeida como seu vice; a “Vitória do Torcedor”, que anunciou Paulo Catharino Gordilho Filho para concorrer à presidência do Conselho Deliberativo e Robinson Almeida como vice, mas ainda não cravou o nome do pré-candidato à presidência do clube. O mais cotado é Ivã de Almeida, candidato derrotado por Viana na última eleição, em março de 2015. Apoiando a reeleição do atual presidente Raimundo Viana, a chapa “Vitória Cada Vez Mais Forte”  tem como candidato à presidência do Conselho Deliberativo o advogado e vereador Pedro Godinho, 69 anos, e Djalma Abreu como vice.A eleição, mais uma vez, será indireta. No dia 10 de dezembro, os sócios há pelo menos 18 meses e os conselheiros votarão em uma chapa para o Conselho Deliberativo, sendo que a chapa mais votada preenche todas as 200 vagas efetivas e as 70 suplentes. O Conselho Deliberativo eleito será empossado imediatamente e terá até 48 horas para convocar a eleição para a presidência do Conselho Diretor. Esta eleição para presidência do clube será realizada em até cinco dias após a convocação feito pelo Conselho Deliberativo.
Correio24horas